Treze municípios da Beira Interior com plataforma de gestão de redes de água

Treze municípios da Beira Interior vão passar a dispor de uma plataforma de gestão de rede de águas, que permitirá melhorar a gestão e minorar as perdas de água, anunciou a Associação de Municípios da Cova da Beira.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB), com sede em Belmonte, distrito de Castelo Branco, explica que avançou com um investimento de 2,5 milhões de euros para instalar nas autarquias “o equipamento e uma solução de ‘software’, que reúne, numa única plataforma, toda a operação de uma infraestrutura de redes de águas”.

Segundo a informação, tal permitirá aceder, em qualquer instante e em qualquer lugar, a toda a informação que emana da sua operação diária.

O projeto foi implementado na sequência do levantamento de todas as redes de água de abastecimento público e águas residuais, (cadastro) num total de 13 concelhos.

A informação especifica que estão envolvidos os municípios de Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal e Seia, do distrito da Guarda e de Oliveira do Hospital (distrito de Coimbra), além de Belmonte.

O sistema adotado, acrescenta a nota, “implementa um modelo de gestão que se aplica transversalmente a todos os serviços municipais de água e saneamento, permitindo a partilha de informação e o acompanhamento de toda a atividade, onde os municípios podem entrar e criar o seu espaço de trabalho”.

Tal também permite a gestão e acompanhamento de contratos de todo o tipo de ‘outsourcing’.

“A solução é completamente parametrizável pelos seus utilizadores que, com toda a segurança e controlo, podem ‘desenhar’ a sua infraestrutura e o seu modelo de gestão e de operação”, é referido.

Outra das funcionalidades passa por poder gerir “o dia-a-dia dos serviços municipais de água”, com a manutenção, operação, gestão de ativos e candidaturas para requalificação dos mesmos, bem como controlo de qualidade, energia, jardinagem, inspeções e limpeza e higiene das redes.

A agregação de dados telegestão e de gestão de projeto é outro dos aspetos previstos na plataforma.

Citado na nota de imprensa, o secretário-geral da AMCB, José Manuel Biscaia, destaca que está em causa a primeira fase do projeto e que o mesmo resolverá muitos problemas relativos às redes de águas e saneamento dos municípios, visando minorar as perdas de água e uma gestão muito mais eficiente.

Sublinha igualmente que irá contribuir para “erradicar o desperdício e para a sustentabilidade” que se pretende no território e no mundo.

“No seguimento deste projeto a AMCB está a identificar zonas de medição e controlo para a instalação do indispensável equipamento”, adianta José Manuel Biscaia.

A AMCB tem sede em Belmonte, distrito de Castelo Branco, e atualmente é presidida pelo autarca daquela localidade, António Dias Rocha.



Conteúdo Recomendado