Territórios do Côa criam rota de turismo literário inspirada em obra de Saramago

A Associação de Desenvolvimento Regional Territórios do Côa, com sede em Almeida, no distrito da Guarda, vai desenvolver uma rota turístico-literária inspirada na obra de José Saramago “Viagem do Elefante”.

“O trabalho, a desenvolver em dois anos, visa estruturar uma oferta ao nível do Turismo Literário, produto em crescimento no contexto contemporâneo, catalisando fluxos e dinâmicas de valor acrescentado para a valorização e promoção da Cultura na região Centro, em particular, em contexto territorial de baixa densidade e com especial incidência na Beira Interior”, segundo a coordenadora da associação, Dulcineia Catarina Moura.

Em comunicado hoje enviado à agência Lusa, a responsável admite “tratar-se de um investimento na diferenciação e qualificação dos territórios do interior assente na salvaguarda e valorização do património cultural, potencializando turisticamente a inspiração, a obra e a experiência de Saramago, envolvendo e estimulando à participação de uma rede de agentes públicos e privados que evidenciem o potencial deste produto cultural”.

“A constituição de uma oferta qualificada e organizada em Turismo Literário, tal qual se pretende através desta Rota ‘Viagem do Elefante’, mune-se de um plano de ação devidamente estruturado e fundamentado, que incide sobre toda a cadeia de valor para atingir o nível de desenvolvimento turístico e cultural desejado”, acrescenta.

Segundo Dulcineia Catarina Moura, são parceiros do projeto os municípios do Fundão, Belmonte, Sabugal, Pinhel e Figueira de Castelo Rodrigo, sendo que “a parceria e o envolvimento destes municípios é formalizada através de protocolo entre as entidades”.

A associação Territórios do Côa conta ainda com o “importante envolvimento da Direção Regional de Cultura do Centro, que prontamente se associou e manifestou o interesse em colaborar no desenvolvimento e promoção do projeto”, acrescenta.

O município de Lisboa e a Fundação José Saramago são também “parceiros consultores” e o seu apoio “estará consubstanciado em ações de promoção e comunicação nacional e internacional, quer sejam exclusivas da rota, quer seja da sua integração noutros formatos que permitam alavancar o projeto e o seu interesse para a comunidade”.

O projeto é apoiado pela Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior.

A Associação de Desenvolvimento Regional Territórios do Côa lembra que “acumula experiência no trabalho e na prossecução de iniciativas associadas à obra de José Saramago, pelo que acredita que esta será também uma oportunidade para a população local reviver momentos tão marcantes e com potencial de atração de turistas e visitantes, bem como um devido impulso à cultura na Beira Interior”.

Em 2013 lançou o guia “Caminho de Salomão – Rota Portuguesa no Vale do Côa”, que foi inspirado na obra literária de Saramago que traça o périplo da viagem do elefante Salomão pela região do vale do Côa, a caminho de Viena, com passagem por Sortelha (Sabugal), Cidadelhe (Pinhel) e Castelo Rodrigo (Figueira de Castelo Rodrigo).

Devido ao momento atual marcado pela pandemia de covid-19, a coordenadora da associação considera ser “fundamental promover dinâmicas de retoma e animação, na expectativa de que o território não perca o reconhecimento de destino turístico de elevado interesse”.



Conteúdo Recomendado