Hospitais da região podem constituir consórcio formativo

Com a revisão do regime do Internato Médico, as unidades hospitalares da Beira Interior poderão receber médicos na fase de especialização.

Os hospitais da Beira Interior – Castelo Branco, Covilhã e Guarda – vão constituir um consórcio formativo e, desta forma, poder captar médicos internos. A revisão do regime do Internato Médico contempla a associação de hospitais para obtenção de um maior número de especialidades com capacidade formativa pós-graduada, segundo uma nota do Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB). O anúncio foi feito por Rui Ivo, vice-presidente da Administração Central dos Serviços de Saúde, que, na última semana, participou no seminário sobre Liderança e Gestão em Saúde, realizado na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (FCS-UBI). A medida pretende reduzir a concentração da especialização de médicos nos grandes hospitais, particularmente do Litoral do País, disse. A medida permite aos hospitais a criação de consórcios que aumentem as capacidades formativas em especialidades, onde cada hospital por si só não as conseguiria obter. Na região, o consórcio será formado pelos hospitais da Guarda, Covilhã e Castelo Branco, que, de forma isolada, não conseguem obter idoneidade formativa em determinadas áreas, porque não têm especialistas em número suficiente para assegurar a formação, mas em conjunto “conseguirão dar resposta a esse critério e abrir mais vagas para médicos internos, nomeadamente para os que estudam na Faculdade de Ciências da Saúde da UBI”, disse Miguel Castelo Branco.



Conteúdo Recomendado