Concorrência dá ‘luz verde’ à venda de autoestradas do Douro Interior à Globalvía

A Autoridade da Concorrência (AdC) deu ‘luz verde’ à venda da concessão de autoestradas do Douro Interior ao grupo Globalvía, já detentor da subconcessão rodoviária Autoestrada Transmontana e da Concessão da Beira Interior, revela um aviso hoje publicado.

A SDI – Subconcessionária do Douro Interior, originalmente detida pela Mota-Engil e pelo Novo Banco, foi em 2008 adjudicada à Ascendi Douro – Estradas do Douro Interior, que em 2017 vendeu os ativos aos franceses da sociedade de investimento Ardian.

A subconcessionária detém a subconcessão Douro Interior, com uma extensão de 242 quilómetros, que inclui o IP2, entre Macedo de Cavaleiro e Celorico da Beira, e o IC5, entre Murça e Miranda do Douro (Duas Igrejas), ligando os distritos de Vila Real, Bragança e Guarda.

Na terça-feira, o conselho da AdC, segundo o aviso publicado na sua página de internet, decidiu não se opor ao controlo exclusivo da Globalvia sobre a SDI – Subconcessionária do Douro Interior e sobre a Operadora DI – Operação e Manutenção Rodoviária, empresa de manutenção dos lanços de estrada da subconcessão Douro Interior.

A compra da concessão foi concretizada pela Gvia Inversiones Portugal, uma empresa do Grupo Globalvia, detido pelos fundos de pensões OPTrust (Canadá), PGGM (Holanda) e USS (Reino Unido), que, em Portugal, detém o Grupo Transmontana, constituído pela subconcessionária da subconcessão Autoestrada Transmontana, com lanços da autoestrada A4, e o Grupo Beira Interior, constituído pela concessionária da Concessão da Beira Interior, com lanços da autoestrada A23.

A Autoestrada Transmontana, adjudicada em 2008 à Autoestradas XXI, Subconcessionária Transmontana, do grupo Globalvia, conta com 134 quilómetros de lanços para construção, conservação e exploração, dos quais 14 quilómetros com portagem, e integra a A4/IP4, entre Vila Real e a fronteira de Quintanilha, ligando os distritos de Vila Real e Bragança. Em 2012, depois de uma renegociação com o Estado português, foram retirados desta concessão lanços do IP4.

A subconcessionária vendida à Globalvia, com ‘luz verde’ da AdC, detém os lanços de autoestrada IP2 – Valebenfeito/Junqueira, IP2 – Pocinho/Longroiva, IP2 – Longroiva/Trancoso, IP2 – Trancoso/Celorico da Beira (IP5), IC5 – Murça (IP4)/Nó de Pombal, IC5 – Nó de Pombal/Nozelos (IP2), IC5 – Nozelos (IP2)/Miranda do Douro (Duas Igrejas), IP2 – Macedo de Cavaleiros (IP4)/Vale Benfeito, segundo o aviso da AdC.



Conteúdo Recomendado