Estrela Geopark com projeto de preservação e valorização de memórias e tradições

O Estrela Geopark vai realizar um projeto de preservação e valorização de memórias e tradições da região da Serra da Estrela, com o objetivo de contribuir “para a recuperação de práticas ancestrais em desaparecimento”, foi hoje anunciado.

O projeto “Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO” foi um dos 10 vencedores da 4.ª edição do Programa Tradições, financiado pela EDP.

Segundo a Associação Geopark Estrela, com sede na Guarda, a iniciativa tem como objetivo “promover a preservação e valorização das memórias e das tradições que fazem parte da identidade da Serra da Estrela, contribuindo para a recuperação de práticas ancestrais em desaparecimento e para a sua divulgação, não só no território do Estrela Geopark, junto das populações locais, mas também junto de quem visita a Serra da Estrela”.

“Tendo em consideração que a identidade da [Serra da] Estrela está muito associada às práticas pastoris, à transumância e aos produtos que foram emergindo em torno destas atividades tradicionais, que têm vindo a diminuir progressivamente ao longo do tempo, todas as memórias e tradições que lhes estão associadas correm o risco de se perderem”, refere a fonte em comunicado enviado à agência Lusa.

No âmbito do projeto “Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO” serão dinamizadas várias ações pedagógicas e de divulgação do património cultural, como ‘workshops’ e sessões intergeracionais de partilha da sabedoria popular, direcionados para diferentes públicos, colocando em contacto diferentes gerações.

Nas ações a promover será dado “particular destaque a três importantes tradições do território”: a transumância, a produção do cobertor de papa e a produção do burel.

“Estas iniciativas contribuirão para perpetuar o saber pelas gerações mais novas, valorizando produtos e tradições singulares, promovendo sentimentos de pertença e de identificação, quer com os costumes da cultura popular, quer com a identidade deste território”, justifica na nota Emanuel de Castro, Coordenador Executivo da Associação Geopark Estrela.

O responsável adianta que será também desenvolvida uma exposição itinerante, que circulará pelas escolas dos diferentes municípios, de modo a divulgar as tradições do Estrela Geopark junto dos grupos mais jovens da população residente.

Futuramente, para dar continuidade a este projeto, a Associação Geopark Estrela “pretende desenvolver uma plataforma Open Science digital, intitulada ‘Portal da Memória do Estrela Geopark’”, que permitirá a recolha e partilha de tradições e memórias, “constituindo um importante projeto de ‘ciência cidadã’ e de ‘Ciência Aberta’”.

O Geopark Estrela foi reconhecido em julho de 2020 pelo Conselho Executivo da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

A Associação Geopark Estrela tem sede no Instituto Politécnico da Guarda e é composta por nove municípios dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia), pelo IPG e pela Universidade da Beira Interior (UBI).



Conteúdo Recomendado