Novo projeto do Escape Livre estimula economia através do TT

Em julho e agosto, o Clube Escape Livre avança para uma novidade: aventuras de todo terreno turístico e lazer, com duração de dois dias, de cariz mais intimista e familiar e com limite de 18 pessoas por passeio.

Está lançado o projeto “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres”. A apresentação do projeto decorreu na passada quinta-feira, no Museu do Côa.

A área de influência do Escape Livre estabelece-se desde a serra da Estrela ao Douro, passando pelas Aldeias Históricas, e será neste âmbito que esta nova ação será desenvolvida, embora por fases. Segundo o Clube Escape Livre, “o objetivo é voltar a proporcionar experiências e descobertas que foram travadas nos últimos meses pela pandemia por Covid-19. Cumprindo agora todas as medidas de segurança, higienização e distanciamento, o Clube Escape Livre oferece a oportunidade de voltar a desfrutar de todo património natural, paisagístico, histórico e cultural que a região da Guarda oferece.”

Nesta fase piloto, o tema das gravuras do Côa foi o escolhido para proporcionar dois dias de descoberta, com um programa que parte do Longroiva Hotel & Termal SPA (onde também decorre o alojamento), e contempla os trilhos todo terreno, a visita à Adega e Quinta Vale d’Aldeia, e chegada à Canada do Inferno. Segue-se um percurso por caiaque, pelo leito tranquilo do rio Côa até ao núcleo de arte rupestre do Fariseu, e com observação da mais recente gravura encontrada, em abril, que se estima ser a maior do mundo dentro do seu género ao ar livre. O almoço com vista para o Douro no Museu do Côa e a visita à Quinta da Ervamoira completam o programa.


História, paisagem, vinhos e gastronomia podem, assim, ser descobertos por pequenos grupos de pessoas, preferencialmente famílias, cumprindo todas as regras em vigor no âmbito da atual pandemia, e para as quais também o setor da hotelaria e restauração está preparado. Para além disso, tratam-se de eventos que, desenvolvidos maioritariamente ao ar livre ou dentro de cada viatura, permitem desfrutar de todas as características da região com toda a segurança e à-vontade.

A apresentação do projeto decorreu no Museu do Côa, um dos parceiros, e contou com a presença de Isabel Ferreira, Secretária de Estado da Valorização do Interior, em representação da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. Estiveram também presentes os presidentes de Câmara da Mêda, Anselmo Sousa, e de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte.

Na ocasião, a governante realçou que “A valorização começa com os atores locais e com os autarcas que têm um papel muto importante nestes territórios e depois com todas as dinâmicas que se instalam no Interior”. Isabel Ferreira parabenizou os parceiros do projeto e afirmou que “O que temos aqui hoje com o Escape Livre configura os quatro eixos centrais do Programa de Valorização do Interior (do Governo), que começa precisamente com a valorização dos recursos endógenos”
Bruno Navarro, presidente da Fundação Côa Parque, considera: “É um projeto que saudamos. Em boa hora o Escape Livre teve esta ideia que adotámos imediatamente, porque ela está perfeitamente alinhada com a nossa estratégia para o território. Os nossos recursos endógenos são divulgados a partir desse projeto que desenvolvemos em parceria com o Clube Escape Livre e acho que está condenado ao sucesso, porque junta duas instituições, a Fundação Côa Parque com uma dimensão nacional e internacional, e o Escape Livre, com um histórico de colaboração e presença no território verdadeiramente notável e que nos dá todas as garantias que será um evento de altíssimo nível, e é isso que queremos oferecer aos nossos visitantes”.

Para Luis Celínio, presidente do Clube Escape Livre, “Depois destes meses de confinamento, uma vez encontrada a abertura legal que permite o regresso a alguma normalidade, as pessoas merecem voltar a sentir a sensação de liberdade e anseiam desfrutar de algumas alegrias e prazeres da vida, e este evento permite faze-lo com as atuais medidas de segurança sanitária. Na ótica da economia, é urgente voltar a apostar na divulgação da região, a dinamizar o turismo e reativar o mercado. Por isso, o Clube Escape Livre quer continuar a apostar no que melhor sabe fazer que é a organização de eventos que conduzam os aventureiros a estas experiências magníficas, com a garantia que são cumpridas todas as normas exigidas pelas autoridades, e também pelo selo Clean & Safe, recebido recentemente do Turismo de Portugal.”

Os passeios “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres” decorrem nos dias 20/21, 22/23 e 24/25 de julho, e nos dias 8/9, 10/11 e 12/13 de agosto. As inscrições são feitas através do email escapelivre@escapelivre.com, e consideradas por ordem de chegada. O preço por pessoa, em julho, é de 158€ | Crianças 4-10 anos – 74€ | Crianças 0-3 anos – grátis (em agosto, os valores são 165€ e 78€) e inclui alojamento, refeições e visitas.
A Finiclasse, concessionário Mercedes-Benz na Guarda e Viseu, associa-se com as suas viaturas Mercedes-Benz, a este projeto de retoma da economia local.

O projeto conta com a colaboração dos municípios da Mêda e Vila Nova de Foz Côa, do Turismo Centro de Portugal, da Fundação Côa Parque, Longroiva Hotel & Termal SPA, Quinta Vale d’Aldeia, Quinta da Ervamoira/Ramos Pinto e Finiclasse.




Conteúdo Recomendado