Evolução da paisagem do Geopark Naturtejo em novo livro

Um novo estudo sobre as formas e paisagens da região da Beira Baixa, tendo como referência o Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO, foi agora publicado internacionalmente.

Os autores do trabalho são Carlos Neto de Carvalho, géologo do Serviço de Geologia do Município de Idanha-a-Nova e Joana Rodrigues, da empresa intermunicipal Naturtejo. A sua investigação resume 16 anos de trabalhos no âmbito da inventariação do Património Geológico e Geomineiro dos sete municípios que compõem o território classificado pela UNESCO, pelo Programa Internacional de Geociências e Geoparques, designadamente Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Com a marca da Springer Nature, editora de revistas científicas internacionais, o livro entitulado “Landscapes and Landforms of Portugal” (em português Paisagens e Formas de Relevo de Portugal) faz parte de uma série dedicada às Paisagens Geomorfológicas Mundiais. Tendo como editor convidado, o professor Gonçalo Vieira e colaboradores da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o novo livro apresenta e explica a diversidade de paisagens naturais do nosso país, através de exemplos representativos e singulares que merecem ser melhor conhecidos pela comunidade científica internacional.

“A Cultura da Paisagem” é o título do trabalho apresentado neste livro pelos dois investigadores do Geopark Naturtejo. Neste capítulo é feita uma caracterização da evolução dinâmica da paisagem, ao longo de centenas de milhões de anos, cujos processos deram origem a algumas das mais extraordinárias formas de relevo existentes em Portugal, desde as monumentais Portas de Ródão, Portas de Almourão e Garganta do Zêzere, à Paisagem Protegida da Serra da Gardunha, aos relevos “Apalachianos” das serra dos Muradal, Penha Garcia e Talhadas, ao vale do Rio Erges e aos Montes-ilha que se estendem desde Monsanto até Penamacor. É explorada ainda a vincada importância da geodiversidade da vasta região em algumas das singularidades da constituição de uma paisagem cultural milenar, desde a a transformação da paisagem levada a campo pela exploração mineira romana, da zona ribeirinha do Rio Ponsul à formidável paisagem do Conhal do Arneiro, à escolha de locais de culto, como a Senhora do Almortão, Senhora da Redonda ou Senhora da Orada, e a festividades, como a Divina Santa Cruz em Monsanto.


No mesmo livro, que agora se encontra disponível pela Springer a todos os investigadores e universidades espalhadas pelo mundo, assim como todos os curiosos que queiram aprofundar os seus conhecimentos sobre a origem e evolução da paisagem portuguesa, encontram-se outros capítulos dignos de nota sobre a região da Beira Baixa. É de destacar o trabalho do peofessor Pedro Proença e Cunha sobre a região compreendida entre Sarzedas e Monfortinho. Este investigador da Universidade de Coimbra reúne aqui o seu trabalho de investigação realizado ao longo de 35 anos na região.

“A publicação do trabalho de investigação aplicada de Carlos Neto de Carvalho e de Joana Rodrigues neste novo livro faz parte de uma estratégia de valorização internacional e cooperação científicas potenciável pela existência do Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO. O objetivo é fomentar o desenvolvimento de novos olhares sobre a região em foco, através da atração de equipas de investigação nacionais e internacionais para dar resposta a desafios permanentes e que se levantam no presente, desde o aproveitamento de recursos geológicos e energéticos, à gestão territorial e às alterações climáticas. Por outro lado, pretende-se que esta investigação científica de proximidade possa estar ao alcance de todos os interessados da região, através de formação para professores e técnicos, sessões de divulgação, visitas temáticas e projectos de valorização das paisagens e geodiversidade local, realizados pela equipa do Geopark Naturtejo e propostos pelos municípios que o constituem”, refere a Naturtejo – Empresa de Turismo, EIM.




Conteúdo Recomendado