Covid-19: Ministra da Coesão Territorial destaca menos casos no Interior

A ministra da Coesão Territorial reconheceu hoje, em Viseu, que o Interior teve menos casos de covid-19 e que as “pessoas andaram até com mais confiança do que no litoral”.

“Todo o país apanhou um susto neste período da pandemia e houve muitas situações que nos assustaram, houve muitos serviços que não puderam funcionar, não só no interior. Até diria que o interior, nesse contexto, esteve até melhor, teve menos casos e as pessoas andaram até com mais confiança que no litoral”, reagiu a ministra às perguntas dos jornalistas.

Ana Abrunhosa falava em Viseu depois de ter sido confrontada pelo presidente da Câmara, Almeida Henriques, sobre uma eventual saída de um helicóptero do INEM da região para Loures, que já não se verificará, e também sobre a supressão de alguns horários ferroviários.

A ministra socorreu-se de um comunicado do INEM, que apenas hoje chegou às redações, para garantir que o helicóptero se manterá em Viseu.

Sobre os comboios intercidades, Ana Abrunhosa explicou: “Fiz uma articulação com o Ministério das Infraestruturas e Habitação, no caminho [para Viseu], e o que nos foi garantido é que estamos a falar de uma interrupção temporária e que terá sido feita no período da pandemia por falta de procura, que não é mais nada do que isso e que será retomada. Nós todos acompanharemos isso”.

A ministra inaugurou em Viseu a primeira obra concluída pelo município no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e apadrinhou o lançamento da plataforma digital “Viseu compra aqui”.

Na mesma cerimónia, o presidente da Câmara de Viseu, aproveitou a presença da ministra para anunciar preocupações, nomeadamente a anunciada saída do helicóptero do INEM — que já não se verificará — e a supressão de horários do intercidades.

Depois, o presidente da Câmara admitiu aos jornalistas que na terça-feira recebeu “um telefonema da parte de um alto responsável do INEM, que dava conta do reatar e pedia até desculpa”.

“Quando as pessoas cometem um erro e até têm a humildade de pedir desculpa, os beirões são por natureza pessoas que o aceitam e tudo está bem, quando acaba bem”, contou António Almeida Henriques.

O INEM anunciou na segunda-feira que o helicóptero atualmente posicionado em Viseu irá ser “relocalizado temporariamente no heliporto de Salemas, em Loures, de forma a manter a operacionalidade deste meio aéreo e sempre no cumprimento estrito de todos os requisitos e normas aplicáveis à operação aeronáutica”.

Segundo o INEM, o helicóptero vai operar a partir de Salemas até que seja implementada uma solução definitiva que permita a certificação do heliporto de Santa Comba Dão como base permanente.

O INEM avançava que esta solução está a ser trabalhada entre as entidades responsáveis, tendo sido garantido ao instituto que a criação das condições necessárias para a certificação do heliporto irá acontecer num curto espaço de tempo.

O INEM indicou hoje que um helicóptero de emergência médica vai continuar posicionado no Aeródromo Municipal de Viseu, depois de um entendimento entre a Câmara da cidade e a empresa que cede as instalações para o aparelho.

Num comunicado hoje divulgado, o INEM avança que o helicóptero de emergência médica posicionado no Aeródromo Municipal de Viseu tem condições para permanecer na região.

“O INEM anunciou que o helicóptero da região Centro iria ser posicionado em Salemas, Loures, até ser encontrada uma solução definitiva que permita a certificação do Heliporto de Santa Comba Dão como Base Permanente”, explica aquele instituto, acrescentando que esta medida não se justificava por qualquer questão relacionada com o Aeródromo Municipal de Viseu, mas porque “a empresa IFA, Aviation Training Center, iria iniciar a sua atividade, momento que tinha sido previamente definido como limite para que o helicóptero pudesse permanecer nas instalações da referida empresa”.




Conteúdo Recomendado