Covid-19: Idoso testa positivo no Lar da Misericórdia de Foz Côa

Um homem de 92 anos, utente do lar Nossa Senhora da Veiga em Foz-Côa, testou positivo para o novo coronavírus.

Com febre e dificuldades respiratórias, foi transportado para o centro de saúde local e posteriormente para o Hospital da Guarda onde está agora internado.

A instituição isolou de imediato o colega com quem o utente infetado partilhava o quarto e solicitou às autoridades de saúde que fizessem o rastreio de quase uma centena de pessoas, entre utentes e funcionários.

“Estamos a aguardar com alguma preocupação, porque nesta fase o equipamento de proteção individual já é escasso”, disse António Morgado ao JN. “Mesmo querendo, não temos a quem comprar com entrega imediata, pelo que o Ministério da Saúde deveria criar um circuito próprio de distribuição para unidades de saúde e instituições como a nossa”, apelou o Provedor da Santa Casa da misericórdia que detém o lar em causa.

Rastreio não vai ser imediato

Ainda na quarta-feira, o presidente da Câmara reforçou o pedido de rastreio à Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, mas a resposta não foi a que queria. “A senhora presidente disse-me que hoje seria impossível mas aguardamos a todo o momento que a unidade móvel venha rastrear as pessoas, para depois vermos se temos que isolar idosos noutros edifícios”, sublinhou o autarca, que apontou o centro de alto rendimento do Pocinho, com 80 quartos, e o centro de formação agrária, como locais de acolhimento.

Sobe para 11 o número de doentes infetados internados nos quartos de pressão negativa do Hospital da Guarda. Na quarta-feira, a equipa Covid-19 identificou mais duas pessoas que testaram positivo. O idoso de Foz-Côa e um jardineiro de 53 anos da Câmara Municipal da Guarda. É natural de Cabreira, uma aldeia vizinha de Parada onde a população está a ser rastreada depois de uma emigrante em França, de 78 anos, também testar positivo. Não se sabe no entanto se o funcionário da autarquia contactou com a idosa em causa.




Conteúdo Recomendado