Figueira de Castelo Rodrigo com projeto pioneiro na recolha e monotorização de resíduos

O Município de Figueira de Castelo Rodrigo anunciou hoje que está a desenvolver na localidade de Barca d’Alva um projeto pioneiro relacionado com a recolha e monotorização dos resíduos sólidos urbanos.

A autarquia presidida por Paulo Langrouva refere que o município integra um projeto-piloto que permite a monitorização de resíduos urbanos naquela localidade ribeirinha do rio Douro, que dista cerca de 20 quilómetros da sede de concelho, através da instalação de 10 sensores 360Waste em igual número de contentores do lixo.

“Os sensores 360Waste recolhem a informação volumétrica dos contentores e disponibilizam a informação numa plataforma ‘online’, à qual o gestor terá acesso”, explica a autarquia.

Segundo o município de Figueira de Castelo Rodrigo, situado no distrito da Guarda, junto da fronteira com Espanha, a solução aplicada a título experimental “é um contributo para a modernização do serviço, diminuição dos custos, otimização dos circuitos de recolha de resíduos urbanos e a diminuição do volume de poluição”.

O sensor instalado nos contentores do lixo também é composto por mecanismos de deteção e de alerta para caso de incêndio e de possíveis quedas.

“É um projeto que se encontra a ser testado na localidade de Barca d’Alva e que será, à ‘posteriori’, implementado em todo o concelho, permitindo assim otimizar os serviços de recolha de resíduos, uma vez que se terá conhecimento em tempo real do estado dos contentores, respetivo volume de resíduos e consequente necessidade de recolha, permitindo desta forma a sua recolha imediata e otimizada”, conclui a fonte.




Conteúdo Recomendado