Projeto “Idearia” desenvolvido na Covilhã

Criar uma estratégia de promoção de emprego junto dos jovens com o recurso ao desenvolvimento de competências e de apoio a ideias inovadoras é o principal objetivo deste projeto.

A iniciativa está a ser dinamizada pela associação “Coolabora” em parceria com a UBI, a câmara da Covilhã e o Teatro das Beiras e que resulta de uma candidatura apresentada ao programa “Cidadania Ativa” da fundação Calouste Gulbenkian, sendo uma das cinco iniciativas que vai ser financiada neste domínio até fevereiro de 2016. Uma ideia que, de acordo com a presidente da «Coolabora» “nasceu de uma constatação nossa em que nos preocupa seriamente o facto de haver cada vez menos gente numa região do interior como a nossa; todos nós conhecemos pessoas que emigraram e por isso sabemos a dificuldade que temos em reter aqui os jovens e criar-lhes oportunidades; nós temos também um outro projeto que é o «Quero Saber» e faltava-nos um programa que nos permitisse dar o passo seguinte”.

Graça Rojão acrescenta que o projeto vai assentar em duas vertentes fundamentais para jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos “por um lado o empreendedorismo e a empregabilidade dos jovens onde vamos trabalhar as questões das competências transversais como a assertividade ou a comunicação e, por outro lado, vamos ter questões mais especificas relacionadas com formação para a criação do próprio emprego ou mesmo ações de empreendedorismo dentro de organizações existentes que pode passar pela abertura de novas áreas de negócio”.

A articulação do projeto será feita com base em três laboratórios, que vão funcionar em articulação com os vários parceiros da iniciativa “vamos ter um laboratório criativo com workshops de teatro, vídeo, cinema e expressão plástica; depois um laboratório empreendedor muito orientado para essa área e para a criação de novos negócios e por fim um laboratório experimental que tem uma vertente de oficina; para além disso vamos ter também dois espaços de rede porque não concebemos uma iniciativa deste tipo sem uma participação muito ativa daqueles que são os destinatários”.

Luís Madureira Pires, gestor do programa “Cidadania Ativa”, destaca o carácter inovador desta iniciativa e acredita que ela pode trazer resultados muito positivos ao concelho da Covilhã “ele vai ter uma componente inicial transversal para dar aos jovens as competências necessárias e muito provavelmente só aqueles que mostrarem apetência é que vão transitar para uma fase seguinte e criar a sua própria empresa; é muito importante existir depois uma forma de poder fazer testes de mercado e elaborar ideias de negócio sendo que depois a câmara pode fazer a ligação à incubadora e eu acho que essa articulação que foi pensada é perfeita e eu estou convencido de que ele vai ser bem sucedido”.


Conteúdo Recomendado