Obras abrem guerra de palavras entre Covilhã e Fundão

http://www.sbctv.pt/admin/img/artigos/psd_fundao2.jpg

Declarações de Paulo Fernandes, autarca do Fundão, sobre IC6, túneis de Serra da Estrela e Aeroporto causam divergência entre autarquias

Obras como o Itinerário Complementar 6, aos Túneis da Serra da Estrela e o aeroporto da Covilhã estão a motivar divergências entre as câmaras da Covilhã e Fundão. No final da última reunião de Câmara, que decorreu à porta fechada, o presidente da edilidade serrana, Vítor Pereira, leu um comunicado, sem direito a perguntas, onde disse “lamentar profundamente as infelizes e reiteradas declarações”, relativamente às três infraestruturas, de Paulo Fernandes. O autarca do Fundão disse na última reunião da Assembleia Municipal que o IC6, para ligar a Coimbra, “é importante”, sugerindo alternativas mais a sul do distrito, pela zona do pinhal interior. Quanto aos túneis da Serra da Estrela, manifestou dúvidas quanto à sua concretização do ponto de vista ambiental e técnico. Já sobre o aeroporto, disse ser mais favorável à capacitação do aeródromo mais próximo que existe, ou seja, o de Castelo Branco, nomeadamente no transporte de mercadorias. Para Vítor Pereira, estas afirmações mostram um “inusitado inconformismo, a este baixar de braços relativamente a obras tão importantes para a região como são o IC6 que serve diretamente o Fundão, os túneis que servem a mobilidade dos concelhos de ambos os lados da Serra da Estrela, beneficiando também o Fundão; a infraestrutura aeroportuária que favorece igualmente o concelho do Fundão dado que a sua utilização para voo de cargas e mercadorias permite o escoamento dos produtos do mesmo concelho, bem como o seu aproveitamento para fins turísticos e voo recreativo, beneficiando aquele concelho”. Falando em “consequências”, mas sem especificar, Vítor Pereira acrescentou Paulo Fernandes mostrou-se “um autarca com visão egoísta, desleal e redutora” que “não está à altura da presidência da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela”. Já depois da tomada de posição do presidente da Câmara da Covilhã, o autarca do Fundão, à Rádio Clube da Covilhã (RCC), manifestou estranheza pelas declarações produzidas que justificou com uma situação de “falha muito grande de informação”. Sobre o aeroporto disse não colocar em causa a construção a norte do Fundão, mas “parece-nos que no imediato devemos apostar no aeroporto de Castelo Branco por ele, neste momento, ser o único que está habilitado a fazer o transporte de mercadorias”. O IC6 será sempre uma obra prioritária “independentemente do traçado escolhido” para ligar a Cova da Beira a Coimbra. Já os túneis, por não se encontrarem inscritos no plano estratégico para o país, entende por não haver verbas “não vale a pena estar a dizer-se que se vão fazer os túneis, porque durante os próximos anos não vão ser construídos”. “Daí eu ter dito que tinha dúvidas relativamente a esta circunstância”, conclui à RCC.



Conteúdo Recomendado