Meteorologistas antecipam seca grave para outubro

Portugal continental vai estar em situação de seca nos próximos meses, mesmo que chova mais que o normal para a época, tornando-se preocupante se não se registar precipitação, disse Pedro Viterbo, diretor de Meteorologia e Geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

As declarações foram prestadas à agência de notícias Lusa. O responsável acrescenta que, “se não houver precipitação até ao final de setembro, começamos o outono com uma situação grave”, afirmou.

“É uma situação preocupante, mesmo com a segunda metade de agosto chuvosa e setembro anormalmente chuvoso, poderíamos, na melhor das hipóteses, baixar para seca moderada e seca severa”, acrescentou.

No entanto, o mais provável é que, mesmo com pluviosidade acima da média para a época, grande parte do país continuasse em seca severa e extrema.

Num cenário com precipitação superior ao normal “temos situação de seca severa e seca extrema em grande parte do território, menos gravosa do que o cenário de precipitação normal, em que todo o país está em seca severa ou extrema”, explicou Pedro Viterbo.

Os técnicos do IPMA utilizam a informação histórica para estes meses e elaboram três cenários, sendo o primeiro com base em valores de precipitação muito inferiores ao normal, o segundo com valores próximos do normal e o terceiro tendo em conta chuva muito superior ao normal.

O especialista comentava a situação de seca extrema ou severa que, no final de julho afetava 79% do território continental, enquanto os restantes 21% estavam em seca fraca a moderada, segundo o último boletim climatológico do IPMA.

A continuar a seca com a gravidade atual até ao início de outubro, haverá igualmente, segundo o especialista, impacto nas pastagens e possivelmente nas barragens e albufeiras.

Além do mais, “se mantivermos o solo seco, temos condições para ocorrência de incêndios superior ao normal, podemos prolongar a época [de fogos], com incêndios intensos”, admitiu.

A escala utilizada pelo IPMA para medir os níveis seca contempla quatro níveis de intensidade: seca fraca, seca moderada, seca severa e seca extrema.

Esta escala baseia-se num índice que tem em conta dados da quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo.




Conteúdo Recomendado