Furto de ovinos preocupa agricultores de Castelo Branco

Agricultores do concelho de Castelo Branco estão preocupados com os furtos de gado nas suas explorações e só nos últimos dias a GNR recebeu quatro queixas de furto de 93 ovinos e quatro manjedouras.

Daniel Lopes, que tem cerca de 1.200 ovinos numa exploração em Alcains, disse hoje à agência Lusa que está preocupado com a situação que o tem afetado, bem como a outros agricultores vizinhos.

“No mês passado, já tinha apresentado queixa na GNR de Alcains. Até ao momento, pelo menos 100 ovelhas já me roubaram. Tenho cerca de 1.200 ovelhas. Não as conto todos os dias ou todos os meses. Agora, quando fiz a atualização, já vão por volta de 100 ovelhas que me desapareceram”, explica.

Este produtor de leite adianta que para roubar ovelhas tem que haver pessoas para carregar o gado, bem como transportes para isso.

“Estamos preocupados com a situação. Os proprietários dão por falta dos animais que andam nos cercados. As autoridades dizem que vão investigar”, frisou.

Contactada pela Lusa, fonte do Comando Distrital de Castelo Branco da GNR confirmou que recebeu quatro queixas de furtos de borregos e de quatro manjedouras registados na noite do dia 05 para dia 06 de janeiro.

“Recebemos quatro queixas. Uma diz respeito ao furto de quatro manjedouras, no valor de 400 euros, outra de 40 borregos no valor de 1.500 euros, outra de 43 borregos, avaliados em 1.700 euros, e outra de 10 borregos no valor de 500 euros”, disse.

A mesma fonte adiantou que, para já, foram recebidas estas quatro queixas de furtos.

“Foi tomado conhecimento dos furtos através das queixas apresentadas e a GNR vai investigar no âmbito das suas competências”, concluiu.




Conteúdo Recomendado