Celorico da Beira vende lote no Parque A25 para infraestrutura de logística e transporte

O município de Celorico da Beira vendeu um lote de terreno no Parque Empresarial A25 a uma empresa do grupo de Transportes Bernardo Marques, para instalação de uma infraestrutura no setor da logística e transporte, foi hoje anunciado.

A Câmara Municipal de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, refere em comunicado que vendeu um lote de terreno do Parque Empresarial A25 à empresa Tir2Rent, pertencente ao grupo Bernardo Marques, por cerca de 56 mil euros.

Segundo a fonte, no lote, que tem uma área superior a cinco hectares, a empresa pretende instalar “uma infraestrutura no setor da logística e transporte”, que “irá criar 20 postos de trabalho, contribuindo para a dinamização da economia local”.

A autarquia acrescenta na nota publicada na sua página oficial da internet que “desde 2013, ano em que foi criado o Parque Empresarial A25, este é o primeiro lote a ser vendido para a instalação de uma infraestrutura no setor da logística e transporte”.

“A venda deste primeiro lote reforça a capacidade industrial do Parque Empresarial A25, cumprindo o objetivo da autarquia de atrair novos investidores”, sublinha o município de Celorico da Beira, presidido por Carlos Ascensão.

A escritura de compra e venda do lote de terreno foi celebrada na segunda-feira e após este ato a empresa Tir2Rent “tem nove meses para iniciar o projeto de edificação das infraestruturas e, posteriormente, dois anos para concluir as construções”.

O município de Celorico da Beira “tem a expectativa que o Parque Empresarial A25 sirva, sobretudo, para fomentar indústrias de média/grande dimensão capazes de alavancar a economia”, admitindo que “estes investimentos são vitais” para esse objetivo.

O Parque Empresarial A25 situa-se junto da autoestrada A25, que liga Aveiro a Vilar Formoso, nos arredores da vila de Celorico da Beira.

O espaço empresarial é constituído por 11 lotes de terreno, para instalação de pequenas e médias empresas industriais, unidades de artesanato, oficinas e armazéns “que pelas suas características se encontrem desinseridos do contexto rural e urbano”, segundo o município.

A Câmara de Celorico da Beira tem em vigor um regulamento que estabelece as normas a que deve obedecer o processo de aquisição, venda e transmissão de lotes da referida área empresarial, bem como os condicionamentos da construção, utilização e ocupação dos mesmos.




Conteúdo Recomendado