Banco de terras de cooperativa de Mangualde atribui primeira exploração a um pastor

O Banco de Terras da Cooperativa Agro-Pecuária dos Agricultores de Mangualde (COAPE) atribuiu a primeira exploração a um pastor que pretende investir na produção de leite de ovelha de raça Serra da Estrela.

“Foi atribuída a primeira exploração para a instalação de um pastor que irá investir na produção de leite de ovelha da raça autóctone Serra da Estrela”, anunciou hoje a COAPE, salientando que este “é o resultado de um esforço conjunto das entidades locais e regionais para a valorização da atividade da pastorícia e da produção de queijo com DOP [Denominação de Origem Protegida]”.

O jovem pastor apoiado por este programa de banco de terras da COAPE, Vítor Almeida, já tinha um rebanho da raça Serra da Estrela, mas a zona de pastagem estava anteriormente localizada fora da região DOP Serra da Estrela, impossibilitando-o de vender o leite para a produção de queijo com esse selo, explica a nota de imprensa enviada à agência Lusa.

“Vou passar a conseguir ter uma fonte de rendimento certa, fazer o que realmente gosto e até aumentar a produção dentro da região DOP”, salientou Vítor Almeida, citado na nota de imprensa.

Para o presidente da COAPE, Rui Costa, o banco de terras assume importância na “revitalização da atividade da pastorícia e na manutenção das raças autóctones”, podendo assim aumentar a produção de leite das raças autóctones (Bordaleira e Churra Mondegueira) no território, “ao permitir que novos empresários agrícolas possam investir na fileira”.

O Banco de Terras para Pastores é uma iniciativa financiada por fundos comunitários que procura facilitar o acesso à terra nos municípios de Mangualde, Viseu, Nelas, Seia, Gouveia, Fornos de Algodres e Penalva do Castelo a pessoas que se queiram dedicar à pastorícia.

O projeto pretende também evitar o abandono e degradação das paisagens e contribuir para “o crescimento e sustentabilidade da economia de base rural”, refere a nota de imprensa.



Conteúdo Recomendado