Guarda perde um deputado

O nosso Distrito, como a maior parte dos territórios do interior está em severa perda populacional de cerca de 12% em cada 10 anos. É um valor elevado sim. Muito elevado e de difícil – ou mesmo impossível – correção. Esta perda, que presentemente é de aproximadamente menos 6 pessoas por dia, tem reflexos em […]

António Edmundo António Edmundo 9:37

Até onde valorizam as casas?

Se esta procura externa continuar (já hoje mais de 1/4 das casas são compradas por estrangeiros) e se intensificar mesmo, os preços vão bater novos recordes, pois a oferta de novas casas não acompanha esse crescimento.

António Edmundo António Edmundo 11:42

Um milhão de pessoas acima dos 75 anos

A grande questão, é que estes dois milhões de portugueses não serão fáceis de repor, estatisticamente falando, pois as pessoas são todas elas únicas e insubstituíveis.

António Edmundo António Edmundo 16:25

Vacine-se

E se a gripe no inverno nos ataca, a nós nas terras altas ataca muito mais, que por cá o gelo é presença assídua até Março, pelo menos.

António Edmundo António Edmundo 17:11

O clima já mudou

Hoje tudo mudou. O tempo está mesmo mudado. É quase sempre a mesma estação…

António Edmundo António Edmundo 16:36

Um imposto extraordinário para o Interior?!

Para terem lugar verdadeiras alterações, no nosso país que está em declínio demográfico em mais de 2/3 da sua área e que tem de voltar a dar esperança às pessoas, vamos precisar de dinheiro.

António Edmundo António Edmundo 10:17

Poupar é humanamente impossível

As poupanças são, contudo, necessárias para gerar capital para grandes investimentos e empreendimentos futuros.

António Edmundo António Edmundo 15:54

O despovoamento

O despovoamento demora anos a combater, mas o combate ainda nem sequer começou.

António Edmundo António Edmundo 10:21

O Planeamento Urbano na China

Planear a esta escala é muito exigente. A responsabilidade é enorme. A China tem, contudo, elevada capacidade de execução e realização.

António Edmundo António Edmundo 16:12

2017 na palma da mão

Em 2017 vai afirmar-se fortemente esta tendência, e os “velhos” negócios vão continuar em risco de desaparecerem.

António Edmundo António Edmundo 14:44