Universidade da Beira Interior com 1,3 ME para projetos de investigação

A Universidade da Beira Interior (UBI) vai liderar seis projetos de investigação, cujo financiamento aprovado é de cerca de 1,3 milhões de euros, anunciou aquela instituição de ensino superior.

Em comunicado, a UBI especifica que os projetos em causa foram aprovados no âmbito do Concurso SAICT/2017 – Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico – IC&DT e abrangem as áreas das Ciências da Saúde e da Engenharia.

Dois deles, no valor global de 447 mil euros, tinham sido aprovados no início do ano, sendo que a esta verba se juntam mais 875 mil euros correspondentes a quatro projetos agora aprovados.

De acordo com a UBI, vai ser financiado o projeto “Fatores de risco genético para os adenomas hipofisários: uma análise nacional, multicêntrica, genética e clínica”, coordenado por Manuel Lemos, do Centro de Investigação em Ciências da Saúde (CICS) e docente da Faculdade de Ciências da Saúde (FCS). Este trabalho terá um financiamento de 239.999,55 euros.

“Suportes modificados com Líquidos Iónicos para a Purificação de pré-miRNAs envolvidos na doença de Alzheimer” é o nome do projeto que será desenvolvido pela investigadora Fani Sousa, que integra o mesmo centro de investigação, e para qual obteve um financiamento de 239.607,05 euros.

Sílvia Socorro, do mesmo centro de investigação, viu aprovado o montante de 235.682,05 euros, no âmbito do projeto intitulado “Fatores extrínsecos na modulação do metabolismo da próstata: aplicações na prevenção, diagnóstico e tratamento do cancro”.

Na Faculdade de Engenharia será desenvolvido o projeto “Produção de componentes para veículos aéreos não tripulados (UAVs) por manufatura aditiva”, com um financiamento de 160.186,80 euros, com coordenação do docente Paulo Reis, do departamento de Engenharia Eletromecânica.

A estes quatro projetos juntam-se aqueles que já tinham sido previamente anunciados: “Remedia.Lab – Laboratório e Incubadora de Media Regionais”, que será coordenado pelo docente da Faculdade de Artes e Letras e investigador do Labcom.IFP – Comunicação Filosofia e Humanidades, João Correia, com uma dotação de 209.472,01 euros; e “Nanoestruturas de Óxido de Grafeno revestidas com polímeros anfifílicos zwiteriónicos para a terapia química e fototérmica do cancro da mama”, que terá a coordenação de Ilídio Correia (CICS e FCS) e um financiamento de 237.603,03 euros.




Conteúdo Recomendado