Gouveia evoca 150 anos do nascimento do republicano Fernão Botto Machado

Os 150 anos do nascimento do republicano Fernão Botto Machado, natural de Gouveia, vão ser assinalados naquela cidade com um programa que vai decorrer entre 19 de julho e 3 de novembro, anunciou hoje a comissão organizadora.

As comemorações são promovidas pela comissão executiva dos 150 anos de nascimento de Fernão Botto Machado e pela Assembleia Municipal de Gouveia com o objetivo de evocar “um dos mais ilustres gouveenses”.

Fernão Botto Machado (1865 – 2015) foi um cidadão “ética e politicamente empenhado na causa republicana”, segundo os organizadores.

O programa inclui colóquios, um concerto, exposições, a inauguração de um monumento evocativo e uma sessão solene, entre outras ações que abordam o pensamento e o percurso político do homenageado.

“Trata-se de um programa singelo, mas repleto de reconhecimento da grandeza moral e ética do homenageado”, refere a comissão organizadora, salientando que para além “da circunstância evocativa” pretende “dar a conhecer-se a obra e o exemplo ético e moral” daquele “apóstolo republicano” às novas gerações.

As comemorações começam no dia 19 de julho, pelas 17h30, com o colóquio “Fernão Botto Machado entre a Monarquia e a República” e um concerto pela Sociedade Musical Gouveense Pedro Amaral Botto Machado.

No dia seguinte será inaugurado um monumento e uma exposição sobre “Vida e Obra literária de Fernão Botto Machado” e decorrerá uma sessão solene evocativa dos 150 anos do seu nascimento.

As comemorações prosseguem no dia 4 de outubro com o colóquio “Fernão Botto Machado e a República” e um espetáculo de teatro “Escravos Modernos”, pelo Grupo Escola Velha (Gouveia).

De 5 a 31 de outubro decorrerá uma atividade de divulgação do pensamento e da obra do republicano junto das escolas de Gouveia, no distrito da Guarda.

As celebrações terminam a 3 de novembro com a exposição “Ecos da Morte de Fernão Botto Machado na imprensa” e com o colóquio “Fernão Botto Machado, um homem simples, um idealista”.

A comissão executiva das comemorações, liderada por Gil Barreiros, presidente da Assembleia Municipal de Gouveia, adiantou hoje à agência Lusa que o homenageado foi “um humanista e idealista que sofria com os pobres e crianças desamparadas e, por isso, era tão amado pelo povo, por quem se haveria de bater até ao fim da sua vida”.

“Fernão Botto Machado abraçou, para além das causas sociais dos trabalhadores, a luta pela emancipação das mulheres, a instrução pública para todos e o direito dos animais, entre outras”, é recordado.

A fonte lembra que “abraçou a causa socialista e republicana desde muito cedo” e foi “candidato socialista em 1903 e em 1910 pelo partido republicano, vindo a ser eleito para a Assembleia Constituinte nas eleições de 1911”.

Botto Machado também desenvolveu uma “atividade notável” como jornalista, escrevendo com assiduidade em múltiplos periódicos, como “A Vanguarda”, “A Batalha” e “Solidariedade”.

Morreu a 3 de novembro de 1924, “deixando uma obra notável na defesa dos trabalhadores”.



Conteúdo Recomendado