Quatro fozcoenses morrem em acidente de autocarro a caminho de Genebra

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa assegurou que irá ser dado todo o apoio necessário às pessoas do concelho envolvidas no acidente.

Quatro pessoas morreram ontem e 28 ficaram feridas, três em estado grave — entre as quais uma criança de dois anos — num acidente com um autocarro que transportava emigrantes portugueses no centro de França, segundo um balanço provisório das autoridades. Os passageiros eram de Foz Côa e Penafiel.
O acidente ocorreu cerca das 4h30 (3h30 em Lisboa), perto da localidade de Charolles, no município de Saône-et-Loire, e envolveu um autocarro com 40 lugares, segundo a edição online da Creusot-Info.
Em declarações à SIC, o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, esclareceu que se tratava de portugueses que tinham partido de Foz Côa e seguiam para Genebra. As causas do acidente ainda não foram inteiramente apuradas, mas José Luís Carneiro observou que terá sido um “despiste em resultado da existência de gelo” na estrada.
O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte, assegurou ontem que irá ser dado todo o apoio necessário às pessoas do concelho envolvidas no acidente. Antonino Sousa, autarca de Penafiel, informou que a câmara está também preparada para prestar todo o apoio às vítimas e famílias. “Estamos, por todas as vias, a procurar informação oficial para podermos determinar o tipo de acção a desenvolver”, acrescentou o presidente da câmara de Penafiel.
O piso escorregadio e uma velocidade “pouco adaptada” podem estar na origem do acidente, disse o prefeito de Saône-et-Loire, Gilbert Payet. “O mais provável é um piso escorregadio, uma perda de controlo devido a uma velocidade pouco adaptada a estas condições de circulação. Mas cabe ao inquérito identificar as causas”, adiantou.
O responsável confirmou que o autocarro “vinha de Portugal e ia para a Suíça” e que transportava “portugueses que trabalham e residem na Suíça”. Os acidentados foram transportados para os hospitais de Mâcon, Paray-le-Monial e Roanne, no distrito de Loire.
Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a morte de quatro portugueses, expressando “sentidas condolências” às respectivas famílias. “O Presidente da República manifesta o seu profundo pesar pela morte dos quatro cidadãos de nacionalidade portuguesa num acidente de viação em França”, lê-se numa mensagem disponibilizada no site da Presidência.
A mensagem refere ainda que o Presidente “acompanha o evoluir da situação clínica de todos os feridos, em especial daqueles que se encontram em situação mais grave, a quem deseja a rápida recuperação”.
De acordo com o jornal Le Parisien, trata-se do acidente rodoviário mais grave em França desde Março do ano passado, quando, na mesma estrada, 12 portugueses morreram na mesma estrada na sequência de um choque frontal entre a carrinha em que seguiam e um veículo pesado. O acidente ocorreu na estrada nacional 79, chamada RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico) e considerada perigosa. As autoridades chegaram a informar ter havido cinco vítimas mortais, mas uma pessoa que estava em paragem cardíaca foi reanimada.




Conteúdo Recomendado