Prova de Drift cancelada em Pinhel devido à Covid-19

O Município de Pinhel e o Clube Escape Livre acabam de cancelar a realização da prova do Campeonato de Portugal de Drift e Taça Internacional, previstas para 22 de 23 de agosto.

O Município de Pinhel organiza, desde o ano de 2016, competições de desporto automóvel, na modalidade de DRIFT e tendo presente a situação de pandemia que nos encontramos a viver, o Município, de Pinhel juntamente com os parceiros Clube Escape Livre, Clube Automóvel do Minho e Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, elaborou um Plano de Contingência, no entanto a Direção- Geral da Saúde não autoriza a realização da prova com presença de público.

O Município de Pinhel esclarece que desde sempre assumiu a realização da prova como uma oportunidade para captar os amantes da velocidade e, dessa forma, dinamizar o concelho e a economia local.

“O facto de não poder ter público presente, aliado à rigorosa e criteriosa gestão do orçamento municipal e ao facto de não ser possível garantir as condições de segurança e de minimização do risco causado pela aglomeração indisciplinada de pessoas, que manteriam a vontade de assistir à prova ainda que fora do circuito, levam a que o Município de Pinhel veja obrigado a cancelar a realização das provas de Drift que estavam agendadas” refere a autarquia em comunicado.

Para Luis Celínio, presidente do Clube Escape Livre, “Este é um momento muito triste, não só porque não podemos organizar com o Município de Pinhel a prova de Drift, pontuável para o Campeonato de Portugal e para a Taça Internacional, e para os quais Município e Escape Livre estavam muito bem preparados para implementar todas as medidas de segurança sanitária, mas estamos tristes principalmente por constatar – e estamos a ser comedidos nas palavras – a confusão e a contradição que grassam nas entidades responsáveis da Saúde a todos os níveis”.

O responsável do Clube da Guarda acrescenta ainda: “Para nós é incompreensível que se autorizem eventos similares com público e não se justifique porque Pinhel não pode ter público, e mais ainda à luz das declarações do Secretário de Estado do Desporto, na RTP, e passo a citar: «O essencial é que haja coerência nas decisões que vão sendo tomadas para elas serem melhor assimiladas melhor compreendidas por todos nós», ou ainda da Ministra da Saúde, que sobre a Festa do Avante disse o mesmo. Por vezes a sociedade aponta que os políticos não sabem ouvir, mas a pergunta que fica é se alguns até se ouvirão a si próprios.”




Conteúdo Recomendado