Proteção Civil apela a cuidados redobrados face ao perigo de incêndios e deixa aviso à população

É proibido fazer queimadas, lançar fogo de artifício sem autorização e usar grelhadores no espaço rural. Proteção Civil apela à população para adequar os comportamentos face ao elevado risco de fogos.

Depois da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), também o Governo declarou, até domingo, situação de alerta de agravamento de risco de incêndio florestal em todo o continente. Em comunicado enviado às redações na noite desta terça-feira, a Proteção Civil destaca a “continuação de tempo quente e seco” e as “condições de instabilidade atmosférica que dificultam o controlo dos incêndios rurais”. Assim, a ANEPC alerta para o risco de certos comportamentos e deixa avisos e conselhos à população.

Para além das habituais proibições de queimadas, do uso de fogareiros ou grelhadores em espaço rural e do lançamento de fogo de artifício, a ANEPC proíbe a desinfestação de apiários, “exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas”.

É também proibido o uso de máquinas como “motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores” e “usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas”.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil apela à população para adequar os comportamentos e atitudes face ao risco de incêndios e para acompanhar e tomar “especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias”.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), os termómetros podem atingir nos próximos dias os 40º C em Portugal. Devido às altas temperaturas, estão em alerta vermelho — o mais elevado da escala — os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Santarém, Coimbra, Guarda, Portalegre, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Viseu e Leiria.

 

Distrito de Castelo Branco e Guarda em alerta vermelho devido a risco de incêndio

 




Conteúdo Recomendado