Obras da coleção Novo Banco captam visitantes para o Museu da Guarda

As cinco obras de arte contemporânea cedidas pelo Novo Banco ao Museu da Guarda estão a contribuir para captar visitantes para aquele equipamento, afirmou o vereador com o pelouro da cultura, Victor Amaral.

O protocolo para cedência das obras de arte contemporânea foi assinado, na Guarda, no dia 08 de junho de 2018, entre o município e o Novo Banco.

Desde aquela data que o Museu da Guarda passou a deter cinco obras de arte da coleção do Novo Banco, de cinco artistas contemporâneos portugueses: Nikias Skapinakis, José de Guimarães, Júlio Resende, Luís Pinto Coelho e João Hogan.

“Mais pessoas procuram o museu também por causa desta sala e destas obras que, de outra maneira, não as teríamos cá”, disse à Lusa o vereador Victor Amaral.

A autarquia criou no espaço museológico a Sala de Arte Moderna e Contemporânea Novo Banco que acolhe “obras de pintores notáveis portugueses e que, no fundo, representam um acrescento em termos qualitativos para a própria dinâmica expositiva do museu”, segundo o responsável.

A coleção “foi uma mais-valia em termos de atração” de público para o equipamento museológico da cidade, admite Victor Amaral.

Segundo o autarca, esta experiência do Novo Banco “é de sublinhar, é de felicitar”, desejando que haja outras neste sentido.

“Que [outras] entidades privadas possam, de facto, ajudar-nos a enriquecer o nosso acervo artístico e a contribuir para que, de facto, haja um maior equilíbrio de desenvolvimento cultural do país, para que nem tudo aconteça apenas no litoral”, vaticina o responsável.

Para o vereador da Cultura, ao contemplar a Guarda com a distribuição de obras de arte, o Novo Banco reconheceu “a importância do trabalho” do museu.

Aliás, apontou que este ano o Museu Municipal foi distinguido, por aquela instituição bancária “como tendo sido um bom exemplo de integração e de acolhimento” das suas obras de arte.

O Museu da Guarda refere, na sua página oficial na internet, que na Sala de Arte Moderna e Contemporânea Novo Banco se encontram “cinco obras de alguns dos mais icónicos pintores portugueses do século XX – XXI pertencentes às coleções daquela instituição bancária”.

Segundo a fonte, Nikias Skapinakis, José Guimarães, João Hogan (1914-1988), Júlio Resende (1917-2011) e Luís Pinto Coelho (1942-2001) “passaram a estar representados nas coleções do Museu da Guarda com obras de inegável interesse para se conhecer não só a produção individual de cada um deles, mas para se entender, de certo modo, um conjunto que reflete parcialmente o que foi o movimento da expressão plástica no período em análise”.




Conteúdo Recomendado