João Paulo Catarino considera que “o interior não pode ser apenas uma sala de visitas para turistas”

O interior não pode ser apenas uma sala de visitas dos turistas e estes têm que deixar retorno económico no território, defendeu hoje o secretário de Estado para a Valorização do Interior, João Paulo Catarino.

“Os turistas que vêm [interior] têm que deixar retorno económico no território. As pessoas que aqui estão precisam desse retorno para aqui ficar”, afirmou João Paulo Catarino.

O governante falava durante o primeiro painel do dia do Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal”, dedicado ao tema “Turismo no Interior do País – Ativos Diferenciadores”, que está a decorrer no Cineteatro Avenida, em Castelo Branco.

O secretário de Estado realçou a oferta de muita qualidade que existe nos territórios do interior, apesar de realçar que a densidade de pontos turísticos no interior é muito menor do que no litoral.

“Por isso, temos que o estruturar em forma de roteiro. Precisamos também de ser mais solidários na área do turismo. Não queremos que o interior seja apenas uma sala de visitas dos turistas que vêm de Lisboa ou do Porto”, sustentou.

Já a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, disse que o setor turístico tem-se virado para os territórios do interior.

Contudo, realçou que não basta dizer que o interior tem bons hotéis, boa gastronomia ou vinhos, e defendeu que é preciso muito mais do que isso.

“Temos que ser um destino em que as pessoas possam vir e experienciar novas experiências”, afirmou.

A presidente da CCDRC disse ainda que não basta ter os ativos nos territórios do interior e defendeu que é necessário transformar esses ativos em produtos turísticos.

Deixou ainda uma palavra de apreço ao trabalho que os vários governos têm feito em prol do turismo no país.

“Independentemente do Governo, temos tido a felicidade de ter alguma estabilidade no setor turístico”, concluiu.




Conteúdo Recomendado