Investigador espanhol Ángel Marcos de Dios vence prémio Eduardo Lourenço 2020

O vencedor da edição deste ano é professor catedrático jubilado da Universidade de Salamanca (Espanha).

Segundo o autarca, o júri, na análise que fez das 14 candidaturas, decidiu por unanimidade atribuir o galardão a Ángel Marcos de Dios, reconhecendo o seu “mérito académico e científico” na área da Língua e Literatura Portuguesas, e “a sua longa e profícua dedicação ao desenvolvimento e aprofundamento das relações culturais [e] académicas entre Portugal e Espanha”.

O vencedor da edição deste ano é professor catedrático jubilado da Universidade de Salamanca (Espanha).

“Ángel Marcos de Dios foi um dos principais impulsionadores do crescimento e representatividade dos Estudos de Língua e Cultura Portuguesas no meio académico, tendo promovido e dirigido as licenciaturas de Filologia Portuguesa e em Estudos Portugueses e Brasileiros na Universidade de Salamanca, uma das mais antigas e prestigiadas Universidades da Europa, contribuindo de forma decisiva para fecundar o intercâmbio e a cooperação ibérica, aliados a uma visão de abertura ao mundo e ao saber que caraterizam o verdadeiro espírito universitário”, disse o autarca aos jornalistas.

De entre as obras publicadas destacam-se “História da Literatura Portuguesa”, “Escritos de Unamuno sobre Portugal”, “Os portugueses na Universidade de Salamanca”, “Letras Portuguesas: literatura comparada e estudos ibéricos”, entre centenas de artigos e vasta obra coletiva, indicou Carlos Chaves Monteiro.

O galardoado também fundou e dirigiu a revista “Estudos Portugueses e Brasileiros” e criou o Grupo de Estudos Hispano-Lusófonos, centrado nos estudos comparativos das línguas e literaturas espanhola, portuguesa, brasileira e lusófona.

Instituído em 2004 pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI), com sede na Guarda, o prémio destina-se a galardoar personalidades ou instituições com “intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas”.

O júri foi constituído pelos membros da direção do CEI (presidente da Câmara Municipal da Guarda e reitores das Universidades de Coimbra e de Salamanca – Espanha), pelos elementos das Comissões Científica e Executiva do CEI e por quatro personalidades convidadas: Álvaro Laborinho Lúcio e Artur Santos Silva (indicados pela Universidade de Coimbra) e Luis Miguel García Jambrina e Lucia Rodil (indicados pela Universidade de Salamanca).

O galardão, com o nome do ensaísta Eduardo Lourenço, mentor e diretor honorífico do CEI, já distinguiu várias personalidades de relevo de Portugal e de Espanha.

Nas edições anteriores receberam o prémio Eduardo Lourenço a professora catedrática Maria Helena da Rocha Pereira, o jornalista Agustín Remesal, a pianista Maria João Pires, o poeta Ángel Campos Pámpano, o professor catedrático de direito penal Jorge Figueiredo Dias, os escritores César António Molina, Mia Couto, Agustina Bessa-Luís, Luís Sepúlveda e Basilio Lousada Castro, o jornalista e escritor Fernando Paulouro das Neves, o teólogo José María Martín Patino e os professores e investigadores Jerónimo Pizarro, Antonio Sáez Delgado e Carlos Reis.

O prémio deste ano será entregue em data a anunciar pelo CEI e pela Câmara Municipal da Guarda.



Conteúdo Recomendado