Governo nomeia Lídia Monteiro para vogal não executiva da Fundação Côa Parque

O Ministério da Cultura designou Lídia Maria Alves Guedes Monteiro para vogal não executiva do conselho diretivo da Fundação Côa Parque, que substitui no cargo Nuno Fazenda, foi hoje divulgado em Diário da Republica.

Licenciada em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Lídia Monteiro foi diretora de comunicação do Turismo de Portugal e desempenha funções de diretora coordenadora de apoio à venda no mesmo instituto público de promoção turística.

Segundo a nota curricular publicada em Diário da República, a nova vogal não executiva da Fundação Côa Parque tem a seu cargo, no Turismo de Portugal, “o Departamento de Comunicação e Marketing Digital, o Departamento de Marketing Territorial e Negócios, a Equipa Multidisciplinar de Meetings & Incentives e a Equipa Multidisciplinar de Trade Marketing”.

Lídia Monteiro formou-se ainda em Gestão e em Marketing pelo ESADE Business School em Barcelona e em Marketing Digital pela Universidade Católica em Lisboa.

A Côa Parque – Fundação para a Salvaguarda e Valorização do Vale do Côa, é um organismo de fundação pública de direito privado, dotada de autonomia financeira, administrativa e patrimonial.

A Côa Parque – Fundação para a Salvaguarda e Valorização do Vale do Côa tem a seu cargo a gestão do Museu do Côa, em Vila Nova de Foz Côa, e do Parque Arqueológico do Vale do Côa.

A fundação detém mais de mil rochas com manifestações rupestres, identificadas em mais de 80 sítios distintos, sendo predominantes as gravuras paleolíticas, executadas há cerca de 30.000 anos, cada vez mais expostas a adversidades climatéricas e geológicas.

O Parque Arqueológico do Vale do Côa foi criado em agosto de 1996. A arte do Côa foi classificada como Monumento Nacional em 1997 e, em 1998, Património da Humanidade pela UNESCO.



Conteúdo Recomendado