Fundão, Covilhã, Belmonte, Guarda e Sabugal criam cartaz comum das tradições quaresmais

Com um “programa vastíssimo” que se prolonga entre os dias 26 de fevereiro e 12 de abril, a Quadragésima tem como base as tradições e vivências de cada concelho.

A Quadragésima, programa cultural que foi criado no Fundão para promover e preservar as tradições da Quaresma, vai integrar, este ano, os concelhos da Covilhã, Belmonte, Guarda e Sabugal, num cartaz comum que apresenta inúmeras tradições e eventos.

A parceria entre os cinco municípios foi ontem anunciada e tem como principal objetivo contribuir para o desenvolvimento regional através de uma estratégia comum, tal como foi referido pelos representantes das respetivas autarquias, em conferência de imprensa realizada no Fundão, distrito de Castelo Branco.

“Trata-se de uma proposta conjunta que deve contribuir para reforçar a identidade da região, potenciar o desenvolvimento regional e replicar boas práticas”, sublinhou a vereadora da Cultura da Câmara do Fundão, Alcina Cerdeira.

Promovida há 18 anos, a Quadragésima conjuga espetáculos culturais próprios e as várias tradições e cerimónias religiosas que se vivem no período antes da Páscoa, contribuindo assim para preservar o património imaterial local.

Com um “programa vastíssimo” que se prolonga entre os dias 26 de fevereiro e 12 de abril, a Quadragésima tem como base as tradições e vivências de cada concelho, como sejam as diferentes procissões, os enterros do Senhor, os cânticos, martírios e encomendar das almas, as cerimónias de “lava-pés” e as vias-sacras, entre outras.

Este ano, também conta com uma componente de itinerância ao nível dos espetáculos próprios, como seja o projeto de criação “Ensemble Renovatio”, que será apresentado na freguesia da Fundão, na Covilhã e na Guarda, ou o “Acordai, se estais dormindo”, que passa pela Covilhã, Fundão, Guarda e Belmonte.

A tudo isto, juntam-se ainda propostas de experiências turísticas, dado que a Quadragésima também encerra um conjunto de potencialidades no setor do turismo religioso e de captação de visitantes para o território, como apontou Alcina Cerdeira.

Mais-valias que levaram a Câmara da Covilhã a responder afirmativamente ao repto lançado pela autarquia vizinha do Fundão no sentido de alargar territorialmente a Quadragésima.

“Penso que não há praticamente nenhuma freguesia do concelho da Covilhã que não tenha algum tipo de tradição nesta quadra, mas faltava efetivamente ligar e integrar”, referiu Regina Gouveia, vereadora da Cultura da Câmara da Covilhã.

Lembrando a “grande dimensão” e a “notória diversidade” do programa, Regina Gouveia também destacou os benefícios desta “estratégia intermunicipal”, que espera que possa continuar a ser alargada no futuro.

Uma ideia partilhada pelo vereador da Cultura na Câmara da Guarda, Víctor Amaral, que classificou esta iniciativa como “um bom exemplo do trabalho em rede e “um ativo importante” para a firmação “de uma coligação de cidades”.

Lembrando que a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 20207 é uma candidatura “em nome do Interior de Portugal”, que conta com o apoio de 17 cidades da região, Víctor Amaral também referiu os méritos de se “consolidar uma agenda do território” e sublinhou que a “marca Quadragésima” fará parte da candidatura.




Conteúdo Recomendado