Festival Cultural da Serra da Estrela promove rede de itinerância e intercâmbio

O projeto visa dar continuidade à rede cultural que foi criada entre os municípios e a CIMBSE no âmbito da operação “Cultura em Rede das Beiras e Serra da Estrela”.

Os municípios de Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Manteigas, Seia e a Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela vão desenvolver o “Festival Cultural da Serra da Estrela”, que promove a itinerância cultural no território.

O projeto visa dar continuidade à rede cultural que foi criada entre os municípios e a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) no âmbito da operação “Cultura em Rede das Beiras e Serra da Estrela”, financiada ao abrigo da Programação Cultural em Rede.

Os municípios que já integram a rede cultural da Serra da Estrela, criada no anterior projeto de programação cultural em rede, propõem-se, em estreita articulação com a CIM-BSE e com os restantes municípios da região, “implementar um novo programa de cultura em rede que permita, por um lado, dar continuidade e consolidar o trabalho desta rede cultural e, por outro, implementar novas iniciativas e ações de programação cultural no conjunto dos cinco municípios, para um período de 18 meses”, segundo os promotores.

A autarquia de Gouveia refere, em comunicado enviado à agência Lusa, que a iniciativa “visa a criação de uma rede de itinerância e intercâmbio cultural, por forma a apoiar os agentes e a economia local, bem como a definir e implementar um plano integrado de animação cultural que promoverá a visitação do território e a promoção e valorização da sua identidade, da sua comunidade e da sua cultura”.

“O mesmo consubstancia-se na constituição de uma bolsa artística para promover a itinerância cultural entre os municípios que compõem a rede cultural da Serra da Estrela (Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Manteigas e Seia), na qual se pretende integrar projetos artísticos dos cinco municípios, tendo como objetivo reforçar a visibilidade e valorizar os artistas e grupos artístico-culturais locais”, acrescenta.

Segundo a fonte, a operacionalização do projeto inclui três fases: promoção e lançamento de um concurso de ideias (a partir do qual serão selecionados os três melhores programas/projetos artísticos), período de ensaios e de preparação dos espetáculos selecionados e apresentação dos 15 espetáculos (três por município).

A bolsa artística para a itinerância cultural permitirá, segundo os promotores, “projetar os artistas e a cultura local de cada território a uma escala intermunicipal, fomentar a retoma da fruição cultural e turística garantindo o cumprimento das normas emanadas pela Direção-Geral da Saúde, e estimular e contribuir para a dinamização da economia e da retoma turística das Beiras e Serra da Estrela”.

Outra ação do festival é a iniciativa “CIM Fonia BSE” que está associada à candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027, que consiste na concretização de um conjunto de cinco concertos dirigidos por orquestras nacionais e a dinamização de igual número de ‘masterclasses’.

O valor financeiro aprovado para a execução de todas as ações que compõem o “Festival Cultural da Serra da Estrela” é de 299.628,00 euros.



Conteúdo Recomendado