Covid-19: Município de Gouveia assegura refeições escolares

A Câmara Municipal de Gouveia pretende “apoiar as famílias e atenuar os efeitos socioeconómicos causados pela pandemia”.

O município de Gouveia está a fornecer cerca de 20 refeições diárias aos alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, com escalão A ou B da ação social escolar, foi hoje anunciado.

Segundo a autarquia presidida por Luís Tadeu, “o fornecimento de refeições aos alunos sinalizados no âmbito da ação social escolar enquadra-se nas medidas excecionais e de caráter urgente de resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus SARS-CoV-2, que determinaram a suspensão de atividades letivas presenciais e não letivas”.

O município de Gouveia, no distrito da Guarda, refere em comunicado divulgado que vai assegurar o fornecimento de refeições durante o período de suspensão das atividades letivas presenciais, “aos alunos dos escalões A e B da ação social escolar sinalizados que frequentam os Jardins de Infância e o 1.º Ciclo do Ensino Básico da rede pública do concelho”.

De acordo com a nota, “estão a ser distribuídas diariamente cerca de 20 refeições, devidamente acondicionadas para transporte, que a autarquia faz chegar a vários pontos do concelho, sendo que os agregados familiares que necessitem de usufruir deste serviço e se enquadrem nos requisitos deverão contactar o serviço de educação” do município.

Com a medida, a Câmara Municipal de Gouveia pretende “apoiar as famílias e atenuar os efeitos socioeconómicos causados pela pandemia”.

A autarquia também tem em funcionamento escolas de acolhimento para crianças com menos de 12 anos cujos pais se encontrem em situação de mobilização ou de prontidão para o serviço, como profissionais de saúde, bombeiros e forças de seguranças.

O Jardim de Infância de Gouveia é o estabelecimento de acolhimento para crianças com idades entre os 03 e os 06 anos e a Escola Secundária local é a escola de acolhimento para os alunos dos restantes níveis de ensino.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.253.813 mortos resultantes de mais de 103,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.



Conteúdo Recomendado