Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo requalifica Torre de Almofala

A Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo está a proceder à requalificação da Torre de Almofala, classificada como monumento nacional, para que seja um “marco importante” na oferta turística do concelho, foi hoje anunciado.

“A Torre de Almofala ou a Torre das Águias, como também é conhecida, é um monumento nacional, é um monumento importantíssimo que tem um valor histórico e patrimonial incalculável”, disse hoje à agência Lusa o presidente da autarquia, Paulo Langrouva.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, o antigo templo romano, que na Idade Média foi convertido em atalaia, estava para ser requalificado “há mais de 16 anos”.

A requalificação teve “finalmente” o aval da Direção Regional da Cultura do Centro e financiamento comunitário para a realização das obras no monumento que tem um valor histórico e patrimonial “incalculável”, disse.

“As obras já começaram. Estamos a falar de um investimento que vai para além do meio milhão de euros, em que vamos ter um financiamento comunitário da ordem dos 400 mil euros”, esclareceu.

A intervenção de consolidação da Torre de Almofala é considerada pelo autarca como “um marco importante, também, naquilo que será a oferta turística do concelho” de Figueira de Castelo Rodrigo.

Quando a obra estiver concretizada, trará “benefícios acrescidos” para aquele município que se situa junto da fronteira com Espanha, admitiu.

Sobre as obras em curso, o responsável esclareceu que são minuciosas e estão a ser acompanhadas em permanência por uma equipa de arqueólogos.

Após a requalificação do monumento, a autarquia presidida por Paulo Langrouva avançará com a construção de um Centro Interpretativo para acolhimento, receção e informação dos visitantes.

Está também planeada uma intervenção relacionada com a melhoria das acessibilidades ao local.

O futuro Centro Interpretativo da Torre de Almofala, que terá uma aposta forte nas novas tecnologias, deverá estar construído no início do próximo ano, vaticina o autarca.

Segundo o Município de Figueira de Castelo Rodrigo, em antigas escavações arqueológicas realizadas junto da Torre de Almofala foi encontrada uma ara votiva do Casarão da Torre, que apresenta a inscrição “CIVITAS COBELCORVM”.

“Pode entender-se como uma referência à capital dos Cobelcos, um povo de que não havia referência. O achado leva a supor que terá existido no local uma povoação de certa importância”, indica.

A fonte sublinha que a descoberta, segundo a investigadora Helena Frade, “deixa antever a possibilidade de ali ter existido a cidade dos Cobelcos, que altera o mapa de distribuição das cidades conhecidas no período da ocupação romana da Península Ibérica”.




Conteúdo Recomendado