Câmara de Celorico da Beira com orçamento de 13,9 milhões de euros para 2021

A Câmara Municipal de Celorico da Beira aprovou um orçamento para este ano no valor de 13,9 milhões de euros, que é superior em cerca de 3,1 milhões de euros ao de 2020, foi hoje anunciado.

O orçamento foi aprovado por maioria pelo executivo autárquico de Celorico da Beira presidido por Carlos Ascensão e pela Assembleia Municipal.

“É um orçamento de continuidade e com alguma ambição, tendo em conta que pretendemos executar um conjunto de obras que são estruturantes para o concelho”, disse hoje o autarca à agência Lusa.

O aumento do valor do orçamento face ao de 2020 deve-se, essencialmente, “ao volume de obras já adjudicadas e aos projetos de investimento previstos”.

“Dentro das obras que o município se propõe a realizar em 2021, a prioridade será dada aos investimentos cujos procedimentos já se iniciaram em 2020, nomeadamente os investimentos na área da educação, de onde se destaca a requalificação da Escola EB 2/3 Sacadura Cabral, cujo investimento previsto totaliza 1.821.665,50 euros até 2022, estando o procedimento à presente data a aguardar visto do Tribunal de Contas”, segundo o autarca.

No setor da educação, o município de Celorico da Beira também prevê investimentos na Escola EB1 de Lajeosa do Mondego e no Jardim de Infância de Santa Luzia, e reabrir a Escola Profissional (no âmbito de um protocolo celebrado com o Instituto Piaget).

Estão ainda previstas, entre outras, requalificações no castelo de Celorico da Beira, no Largo da Corredoura e no parque industrial da A25, e obras para reabrir as Piscinas Municipais.

“Tendo em conta uma parceria entre o município de Celorico da Beira e o município de Gouveia, está igualmente previsto para 2021 um investimento num canil a construir no concelho de Celorico da Beira, cuja obra será estimada em cerca de 210.000 euros, sendo financiada em 130.000 euros pelo município de Gouveia e em cerca de 45.800 euros através da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro”, refere o autarca.

No texto introdutório do documento, o presidente do município de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, explica que, “tendo em conta a conjuntura económica atual que deriva essencialmente da situação de pandemia de covid-19, é cada vez mais relevante a atenção que se deverá dar aos munícipes em situação económica precária”.

“Para tal, foi previsto no orçamento para 2021 um montante de 100.000 euros de transferências correntes para apoios a atribuir a empresas (70.000 euros) e famílias (30.000 euros) no âmbito do combate aos prejuízos causados pelo covid-19”, lê-se.

A ajuda aos munícipes “poderá também passar por apoio habitacional através da requalificação de habitações degradadas, ou através de auxílio na aquisição de novas habitações, sendo de destacar neste âmbito o programa de apoio ao acesso à habitação ‘1.º Direito’”.

O autarca aponta, ainda, que “grande parte do orçamento está reservado à amortização de empréstimos que visam a redução do endividamento do município [que ronda atualmente os 13 milhões de euros], à semelhança do que tem acontecido em anos anteriores”, esperando, sair este ano da situação de excesso de endividamento.



Conteúdo Recomendado