Apoiantes de Eduardo Brito criam movimento para «forçar» novas eleições no PS da Guarda

O candidato que desistiu das eleições de março em que António Saraiva foi eleito, insistiu que o processo foi «fraudulento».

Eduardo Brito anunciou hoje que um conjunto de militantes socialistas do distrito da Guarda está a preparar «um grande movimento para forçar um novo ato eleitoral» para a presidência da Federação.
Em conferência de imprensa realizada esta manhã, o candidato que desistiu das eleições de março em que António Saraiva foi eleito, insistiu que o processo foi «fraudulento» e que, perante «a demora» dos órgãos nacionais do partido em marcarem novas eleições, os militantes descontentes estão dispostos a ir «até ao fim, até que haja um novo ato».
«A persistência de António Saraiva em ser presidente da Federação sem eleições livres e democráticas é injustificável», afirmou Eduardo Brito, que também criticou a ausência do dirigente na última Assembleia Municipal da Guarda. «Perdeu uma oportunidade para se credibilizar como líder do partido e oposição a Álvaro Amaro», sustentou o histórico militante de Seia.




Conteúdo Recomendado