Alunos da UBI criam Iniciativa Júnior

http://static.panoramio.com

Aproveitar os conhecimentos adquiridos na UBI para prestar serviços às empresas.

É este o objetivo do projeto que uma dezena de alunos está a desenvolver e que querem ter a funcionar em pleno no próximo ano letivo. Uma estrutura destinada a incentivar os alunos a aprender fazendo.

Ronda os 10 alunos, o grupo que está a avançar com um projeto no seio da Universidade da Beira Interior (UBI) que pode ser considerado uma vertente diferente do habitual empreendedorismo. Para já, são uma Júnior Iniciativa, mas a ideia consiste em chegar uma Júnior Empresa, associação sem fins lucrativos, constituída por estudantes universitários, que tem como objetivo pôr os estudantes a praticar aquilo que aprenderam nos cursos, através da prestação de serviços às empresas que estão no mercado. Atualmente, negoceiam parcerias para que no próximo ano letivo comece o trabalho a sério.

Eric Vidal, estudante do terceiro ano de Ciências da Comunicação, é um dos membros fundadores deste projeto que já existe em outras universidades nacionais.

Conheceu-o em Aveiro e fez a ele mesmo a pergunta: “Porque não?”. “Na altura, entrei em contacto com o organismo nacional que rege as ‘Juniores’ e disse que estava interessado em importar o conceito para a Covilhã. Começamos então a desenvolver aquilo que era necessário para a criar”, recorda.

Juntaram-se estudantes das áreas de Ciências da Comunicação, Design, Gestão, Economia, Psicologia e Biotecnologia, dos três graus lecionados na UBI. Estabeleceram contacto com docentes e definiram os serviços que vão oferecer. “Chegamos à conclusão que devíamos trabalhar as áreas de apoio ao negócio e da comunicação porque sentimos que era aquilo que as empresas mais necessitavam. Portanto, a nossa ‘Júnior’ trabalhará planos de negócio, de marketing, fará estudos de mercado, de concorrência e a componente virada para a comunicação, que diz respeito a toda a marca e estacionário da mesma”, explica o aluno, acrescentando que esta definição resultou da “auscultação a alguns professores” e de “pequenos estudos realizados”.

O papel dos docentes será de consultores. “Analisarão se tudo está bem feito antes de enviarmos o trabalho a quem nos pediu o serviço”, explica Eric Vidal.

Atualmente, os responsáveis da Iniciativa – que é registada na JADE Portugal – é recrutar mais elementos, estabelecer parcerias e trabalhar em pleno a partir do próximo ano letivo. Depois, caso o projeto se desenvolva como previsto, passarão a uma Júnior Empresa, que permanecerá sedeada na UBI.

“O seguimento de uma Júnior é esse: abrir recrutamento e integrar outros alunos que estejam interessados em fazer parte do projeto. E é uma coisa que acaba por ser rotativa, que fica na Universidade, se as coisas funcionarem bem, dando oportunidade a todas as pessoas”, conclui Eric Vidal.



Conteúdo Recomendado