Aldeias do Xisto praticamente lotadas para os dias de Páscoa

As Aldeias do Xisto estão a registar forte procura para os dias da Páscoa com as unidades de alojamento a estarem praticamente lotadas, disse à agência Lusa o coordenador do projeto, Rui Simão.

“Da informação que temos recolhido junto dos parceiros, está a haver uma forte procura e maioria dos alojamentos já está praticamente lotada nos dias da Páscoa, sendo que para os restantes fins de semana do mês de abril as reservas estão acima dos dois terços da capacidade”, referiu.

Com cerca de 90 unidades de alojamento de diferentes categorias, 600 quartos e mais de mil camas, as Aldeias de Xisto têm neste mês uma das épocas altas do ano, afirmando-se como um destino de excelência que une tradições, religiosidade e natureza.

“São locais que apresentam múltiplas razões para serem visitados e que congregam na perfeição a ideia renovação espiritual expressa nas tradições do calendário religioso com a renovação da paisagem, que por esta altura se reveste de uma exuberância ímpar e imperdível”, salientou Rui Simão.

Este responsável lembra que a oferta é alargada e diferenciadora e que engloba um conjunto de ações preparadas pelas entidades públicas e parceiros privados com o objetivo de proporcionar a descoberta das tradições e costumes, da gastronomia e da cultura, bem como da natureza.

Com o mote “Nem só de Páscoa vive o mês de abril”, está já a decorrer a campanha 12 noites/ 12 lojas em que os visitantes que façam compras na loja “O Risco” (Aveiro) ou na “Casa das Tecedeiras” (Janeiro de Cima, Fundão) ficam automaticamente habilitados a ganhar prémios como um ‘voucher’ de alojamento, um cabaz de degustação ou uma caixa presente.

Juntam-se-lhe o “Ciclo de Fado”, que decorrerá no dia 22 na aldeia de Figueira (Proença-a-Nova) e no dia 30 em Janeiro de Cima (Fundão), a “Páscoa Gastronómica”, a realizar nos dias 15 e 16, no Sobral de S. Miguel (Covilhã) ou “Walking Weekend” que decorre nos dias 28, 29 e 30 e se apresenta como o melhor festival de caminhadas da região Centro.

“São propostas muito variadas, que proporcionam novas experiências ou o reviver de outras, tendo os caminhos do xisto como cenário ideal”, acrescentou.

Segundo explicou, entre os visitantes estão não só os turistas, bem como aqueles que aproveitam estes dias para regressarem às terras e ao país de origem.

A Rede das Aldeias do Xisto é um projeto de desenvolvimento sustentável, de âmbito regional, liderado pela ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto em parceria com 21 municípios da região Centro e com mais de 100 operadores privados.




Conteúdo Recomendado