PS questiona Governo sobre poluição no rio Zêzere

O PS questionou o Governo sobre os focos de poluição no rio Zêzere detetados na área do concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Subscrito pelos deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Castelo Branco, Hortense Martins, Joana Bento e Nuno Fazenda, o documento lembra que o rio Zêzere é um importante afluente do Tejo e fonte de abastecimento humano na região de Lisboa, explicando também que foram ali detetados focos de poluição, designadamente “espelhos de espuma com mau cheiro”.

“Face ao exposto, as populações e os autarcas do concelho do Fundão e respetivas freguesias têm manifestado o seu descontentamento e a necessidade de serem esclarecidos a respeito da qualidade da água e da expectável resolução deste problema”, é referido na pergunta dirigida ao ministro do Ambiente e da Ação Climática.

No texto, lê-se ainda que veio recentemente a público que “a Agência Portuguesa do Ambiente levantou um auto de contraordenação à empresa Águas do Tejo por alegadas descargas ilícitas de saneamento na linha de água do rio Zêzere, decisão tomada em conjunto com a GNR”, e sublinha-se que é essencial esclarecer se o rio está a sofrer algum tipo de poluição (humana, industrial), bem com o que está a ser feito para lhe pôr cobro”.

Os deputados socialistas pedem esclarecimentos sobre a monitorização e as análises, sobre os critérios biológicos e químicos, e sobre a periodicidade dessa monitorização e resultados.

Questionam igualmente quais os focos de poluição que existem no rio Zêzere, o que determinou o levantamento do auto de contraordenação e se as autarquias foram notificadas do resultado dessa monitorização.

Se há evidências de que os focos relatados tenham origem nas escombreiras do Cabeço do Pião ou que a sua existência contribua para a saturação das águas, se há riscos ambientais e de saúde pública associados e que medidas estão a ser tomadas pelo Governo”, são outras das perguntas levantadas.




Conteúdo Recomendado