Proteção Civil tem dispositivo que garante segurança aos visitantes da Serra da Estrela

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) apresentou hoje, na Torre, na Serra da Estrela, o dispositivo que integra o Plano de Operações Nacional da Serra da Estrela (PONSE), que visa dar segurança aos visitantes.

O dispositivo conjunto de proteção e socorro na Serra da Estrela, que será desmobilizado após a Páscoa, foi apresentado numa cerimónia realizada no Auditório do Centro de Interpretação da Serra da Estrela, com a presença do presidente da ANEPC, Mourato Nunes, do Comandante Nacional de Emergência e Proteção Civil, Duarte da Costa, dos Comandantes Distritais da Guarda, António Fonseca, e de Castelo Branco, Francisco Peraboa, entre outros representantes das diversas entidades que integram o sistema nacional de proteção civil.

Segundo o presidente da ANEPC, o dispositivo “é uma garantia” de que os visitantes “estão mais seguros” nas visitas ao maciço central da Serra da Estrela.

Mourato Nunes disse aos jornalistas que este tipo de dispositivos permitem “evitar o mais possível” que a ocorrência aconteça, minimizam os seus efeitos e “respondem rapidamente”.

O dispositivo criado no âmbito do PONSE “é muito experimentado” e “conhece muito bem a região” e os comportamentos daquela área geográfica, assegurou.

Na opinião do responsável, o mesmo dispositivo, que mantém 15 elementos em permanência na Serra da Estrela, “responde e responde bem”.

Integram o dispositivo corpos de bombeiros dos distritos de Castelo Branco (Covilhã) e Guarda (Loriga, São Romão, Gouveia, Seia e Manteigas), o Grupo de Resgate em Montanha da Força Especial de Proteção Civil (FEPC) da ANEPC, a Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR, o Instituto Nacional de Emergência Médica e outras forças e meios qualificados para a execução de missões de proteção e socorro disponibilizados por entidades com especial dever de colaboração.

Segundo a ANEPC, a ativação do Plano de Operações Nacional da Serra da Estrela “pressupõe a unidade de comando e controlo de toda a prevenção e resposta, o incremento do nível de preparação das entidades” envolvidas “para os diferentes cenários de risco previamente considerados e a sua pronta mobilização em caso de necessidade”.

A fonte refere ainda que a Serra da Estrela “é um dos pontos turísticos de maior relevo de Portugal Continental, atraindo todos os anos, principalmente durante o inverno, milhares de pessoas”.

Este afluxo de visitantes leva a ANEPC a planear e a operacionalizar, anualmente, um dispositivo conjunto específico para assegurar uma resposta eficiente e eficaz no âmbito da proteção e socorro.

Na sessão, o presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Vitor Pereira, apelou para a necessidade de os elementos que integram o dispositivo terem “melhores condições” e “mais condignas”.

O presidente da ANEPC reconheceu que existe um problema ao nível das instalações, mas aquela entidade está atenta à situação.

Mourato Nunes referiu aos jornalistas que na zona da Torre “fazer construções não é fácil” e que será preciso “aproveitar as construções que existem” e “criar condições para as pessoas estarem e estarem bem”.

Já o presidente do município de Seia, Carlos Filipe Camelo, destacou a importância do dispositivo de socorro instalado na Serra da Estrela nos meses de inverno, porque o território é muito procurado e “é fundamental” garantir segurança aos visitantes.




Conteúdo Recomendado