Programa do IPCB revela que mais de metade da população adulta do concelho da Covilhã é hipertensa

O Programa da Pressão Arterial da Beira Baixa está integrado na Unidade de Investigação QRural (Qualidade de Vida no Mundo Rural), coordenado pela docente da ESALD-IPCB, Patrícia Coelho.

O Programa da Pressão Arterial da Beira Baixa (PPABB) do IPCB é um projeto cujo principal objetivo é determinar a prevalência de hipertensão arterial e hipotensão ortostática na região da Beira Baixa e dar o seguimento dos indivíduos hipertensos por profissionais de saúde especializados na área.

O Programa da Pressão Arterial da Beira Baixa encontra-se integrado na Unidade de Investigação QRural (Qualidade de Vida no Mundo Rural), unidade recém-criada no Instituto Politécnico de Castelo Branco, cuja coordenação está a cargo da docente da ESALD-IPCB, Patrícia Coelho.

A recolha de dados e a apresentação pública do estudo foram realizadas pela aluna Márcia Santos, aluna da licenciatura em Fisiologia Clínica da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias do IPCB.

A amostra do estudo foi de 1045 indivíduos, com idades compreendidas entre os 18 e os 99 anos, sendo 54,4% do género feminino e 45,6% do género masculino, com residência oficial no concelho da Covilhã. Os dados foram recolhidos de forma aleatória.

O estudo concluiu que a prevalência de hipertensão arterial na população adulta do concelho da Covilhã é de 56,0%, sendo ligeiramente superior no género masculino (58,3%) quando comparada ao género feminino (54,1%).

Foi também possível constatar que 43,3% da população inquirida apresenta hipertensão arterial não controlada, números considerados preocupantes.
Este estudo também permitiu perceber que os fatores de risco mais comuns na população adulta do concelho da Covilhã são a obesidade e o sedentarismo.

Relativamente à prevalência de hipotensão ortostática na população adulta do concelho da Covilhã é de 10,5%.
O estudo conclui que tanto a hipertensão arterial como a hipotensão ortostática apresentam elevadas prevalências no concelho da Covilhã.

Tendo em conta os valores encontrados neste estudo, será importante a realização de campanhas de prevenção primária de alerta e consciencialização da população aos problemas que poderão advir desta patologia, de forma a minimizar a incidência de hipertensão arterial, aumentar o seu controlo e tratamento e diminuir os fatores de risco modificáveis mais prevalentes nesta população, como refere recomendações do estudo em questão.




Conteúdo Recomendado