Politécnico de Castelo Branco prepara ano letivo com atividades presenciais

As orientações às seis escolas superiores do IPCB seguem as diretrizes recebidas do Gabinete do Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior e da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) aprovou um despacho para o planeamento do ano letivo 2020/2021 para garantir as atividades presenciais e adotando procedimentos de vigilância da evolução da covid-19.

“O plano para o funcionamento do ano letivo será elaborado por cada escola [do IPCB] e amplamente divulgado a toda a comunidade escolar antes do início do ano letivo, sendo a sua implementação sujeita à evolução da pandemia covid-19”, explica, em comunicado, o Politécnico de Castelo Branco.

O presidente da instituição, António Fernandes, aprovou um despacho orientador para o planeamento do ano letivo 2020/2021, que tem como objetivo garantir atividades presenciais, de ensino e de avaliação, como dimensão essencial da educação superior.

Simultaneamente, o documento prevê a adoção de “procedimentos realistas” que promovem a vigilância contínua da evolução da pandemia covid-19, com atualização regular dos planos de contingência e respetiva monitorização do seu impacto na comunidade académica.

“Por outro lado, a aposta centra-se na oportunidade para estimular a experimentação e disseminação de práticas inovadoras de ensino e aprendizagem adaptadas a um sistema de ensino presencial apoiado por tecnologias digitais, assim como formas mistas/combinadas de ensino em todos os níveis de ensino superior do IPCB”, lê-se na nota.

As orientações às seis escolas superiores do IPCB seguem as diretrizes recebidas do Gabinete do Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior e da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Centram-se, especificamente, no planeamento das atividades em regime presencial, na garantia da presença dos docentes nas escolas e de aulas ministradas nas respetivas instalações.

Inclui ainda o desdobramento em regime à distância de algumas das atividades letivas, por impossibilidade de acomodação de todos os estudantes nas condições de segurança definidas pela DGS, mas na presença de estudantes em número máximo adequado às condições referidas.

A promoção da experimentação e disseminação de práticas inovadoras de ensino e aprendizagem; a maximização da utilização das instalações, no tempo e no espaço e a promoção da equidade entre estudantes são outros pontos em consideração.

“O IPCB permanecerá atento a todas as recomendações da DGS e ao evoluir da situação da pandemia, estando todas as informações em constante atualização e para consulta na página do IPCB na Internet, conclui.



Conteúdo Recomendado