Politécnico da Guarda considera que Serra da Estrela Geopark Mundial “faz justiça ao potencial geológico”

O presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) considerou hoje que o reconhecimento da Serra da Estrela como Geopark Mundial da UNESCO “faz justiça ao potencial geológico do território” e ao seu património natural e cultural.

O Geopark Estrela foi reconhecido, na sexta-feira, como Geopark Mundial pelo Conselho Executivo da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

“Esta classificação por parte da UNESCO faz justiça ao potencial geológico do território da Serra da Estrela, bem como ao seu património natural e cultural”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG e da Associação Geopark Estrela.

Numa nota publicada hoje na página oficial da internet do IPG, o responsável acrescenta que a formalização da classificação da Serra da Estrela como Geopark Mundial é “um primeiro passo para o desenvolvimento sustentável” da região, com “o aumento do seu potencial turístico em tempos de covid-19 e, por consequência, do crescimento económico e social dos municípios que dela fazem parte”.

“O IPG está empenhado na investigação científica deste território para disponibilizar o melhor conhecimento possível das suas características e das suas potencialidades geológicas e paisagísticas”, acrescenta.

Joaquim Brigas também destaca o papel das autarquias, ao afirmar que todos os municípios envolvidos no projeto, bem como o seu Conselho Científico, “foram fundamentais para a classificação que agora foi formalizada”.

“E deve ser também destacado o trabalho da equipa executiva, sediada no IPG, sem o qual este resultado não teria sido possível”, aponta.

Ainda de acordo com o responsável, “a promoção, valorização e defesa do território, do seu património geológico e cultural, o desenvolvimento de atividades económicas locais e a organização de ações de sensibilização e de cooperação com outras entidades são fulcrais para dar, a partir desta classificação, continuidade ao trabalho desenvolvido”.

A Associação Geopark Estrela tem sede nas instalações do Politécnico da Guarda e é composta por nove municípios dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia), pelo IPG e pela Universidade da Beira Interior (UBI).

A candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO, entregue pela Associação Geopark Estrela em novembro de 2017, foi aprovada pelo Conselho Mundial de Geoparks em setembro de 2019 e agora ratificada por aquele organismo numa reunião do Conselho Executivo.

A UNESCO referiu numa nota publicada na sua página na internet que aprovou a designação de 15 novos Geoparques Globais na Europa, Ásia e América Latina, o que eleva a Rede Global de Geoparques “para 161 em 44 países”.

Em Portugal, o Geopark Estrela vem juntar-se ao Açores UNESCO Global Geopark, ao Arouca UNESCO Global Geopark, ao Naturtejo da Meseta Meridional UNESCO Global Geopark e ao Terras de Cavaleiros UNESCO Global Geopark.



Conteúdo Recomendado