Pedro Calapez expõe pinturas e desenhos na cidade da Guarda

O artista plástico Pedro Calapez vai apresentar mais de três dezenas de obras de pintura e de desenho na exposição “Acordo de Noite Subitamente”, que inaugura no sábado na Galeria de Arte do Teatro Municipal da Guarda.

“São 32 obras, de diferentes dimensões, que revelam as diversas aproximações que o artista fez a materiais, suportes, técnicas ou ‘modos de fazer’ que têm determinado a sua prática artística”, segundo a Câmara Municipal da Guarda.

A exposição, que será inaugurada no sábado às 18 horas e fica patente até 14 de abril, “revela uma escolha em obras de pintura sobre tela e alumínio e grafite sobre papel, pertencentes a diferentes séries realizadas em vários momentos, de 2012 a 2017”.

“Se a tinta de múltiplas cores escorre em camadas ou a linha negra da grafite serpenteia no papel em todas as direções, se os suportes se recortam, ondulam ou fragmentam em diferentes elementos dum improvável conjunto, isso quer dizer que o olhar do espetador, incluindo o do artista, é desafiado a analisar coisas simples como contrastes, composição, diálogos com o espaço e que na persistência do olhar se vão descobrindo pormenores, pequenas relações entre os espaços das formas e no que nelas está representado que propõem um aprofundamento da relação com o mundo e com os que nos rodeiam”, refere a autarquia.

Segundo o Município da Guarda, “as pessoas, as paredes, a sala, o edifício, a sua arquitetura, a cidade, numa aproximação ou num distanciamento desmedidos, são elementos que poeticamente e pragmaticamente são trabalhados”.

“Para cada série de trabalhos por vezes Pedro Calapez escreve um texto”, esclarece, indicando que é justamente o que acontece “com algumas das séries apresentadas” na exposição “Acordo de Noite Subitamente”, que tem entrada livre.

Pedro Calapez, nascido em Lisboa, em 1953, vive e trabalha em Lisboa, tendo iniciado a apresentação do seu trabalho nos anos 1970, com a primeira exposição individual em 1982.

Desde então o seu trabalho foi mostrado em diversos museus internacionais, nomeadamente no Museu Calouste Gulbenkian – Coleção Moderna, em Lisboa, na Fundación Luís Seoane, La Coruña, em Espanha, no Museu do Chiado, em Lisboa, no Paço Imperial de Rio de Janeiro, e no Centro Cultural de São Paulo, no Brasil, entre outros.

Trabalha com galerias que o representam não só em Portugal, mas também em países como Alemanha, Espanha, Estados Unidos da América, México e Suíça.

O seu trabalho encontra-se representado em coleções como o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid, Coleção do Banco Central Europeu, Frankfurt, Centro Galego de Arte Contemporáneo, Santiago de Compostela, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Carmona e Costa, Coleção Caixa Geral de Depósitos e Fundação Portugal Telecom, em Lisboa, Coleção António Cachola, Elvas, Coleção do Chase Manhattan Bank, Nova Iorque, Fundación Coca-Cola, Madrid, e European Investment Bank, no Luxemburgo.




Conteúdo Recomendado