“O Retrato em João Abel Manta – Perfis para as Selectas” no Museu de Gouveia até outubro

A mostra foi pensada para o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, do qual este artista foi o principal doador.

O Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, em Gouveia, acolhe, até 16 de outubro, a exposição “O Retrato em João Abel Manta – Perfis para as Selectas”, que destaca a obra gráfica e pictórica do artista.


A mostra, inaugurada no dia 12 de agosto, procura, pela primeira vez, “destacar um dos aspetos mais relevantes da obra gráfica e pictórica de João Abel Manta, que se afirma em vários domínios no decurso de mais de meio século”, segundo os promotores.


Nas cerca de 200 peças em exposição, o curador Pedro Piedade Marques “reuniu e sistematizou quadros que se encontram, designadamente, na reserva do Museu Abel Manta, desenhos provenientes do Museu da Cidade de Lisboa, do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado e, ainda, muitas outras obras da coleção do curador e do próprio artista, algumas das quais nunca haviam sido expostas”.


A organização lembrou que “entre as numerosas atividades que João Abel Manta (nascido em 1928) exerceu durante a sua longa vida – arquiteto, desenhador, ilustrador, cartoonista, figurinista e cenógrafo, pintor, designer de cartazes, capas de livros, selos, tapeçarias, azulejos e calçadas – o retrato foi uma componente que se manteve quase sem interrupção”.


O catálogo da exposição, concebido por José Brandão e realizado pelo Atelier B2, documenta muitas das obras agora apresentadas e que representam, tal como classificou João Abel Manta, “uma espécie de ‘panteão pessoal’ de vivos e mortos, familiares e amigos, heróis e Némesis, um ‘museu imaginário’ que cedeu aos seus coevos e a nós, os seus herdeiros”.


A mostra, pensada para o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta, do qual este artista foi o principal doador, é “a homenagem que faltava fazer nestes 37 anos de existência do museu”, de acordo com o município de Gouveia, no distrito da Guarda.


Na inauguração da exposição, o presidente da Câmara Municipal de Gouveia, Luís Tadeu, agradeceu “todo o empenho à vasta equipa que concebeu a exposição, proporcionando aos gouveenses uma mostra desta categoria”, dado que, como referiu, apesar de o município se localizar no interior do país, produz “cultura de qualidade”.


O curador Pedro Piedade Marques, referiu tratar-se de “uma exposição de nível nacional, num museu que, por acaso, é municipal”.


O responsável realçou, ainda, “o acervo de interesse internacional do Museu Abel Manta, destacando que o espaço foi adequado à montagem desta exposição, onde os quadros couberam na perfeição”.


Isabel Manta, filha de João Abel Manta, reiterou “a importância que sabe que tem para o seu pai” o facto de “mostrar as suas pinturas e o trabalho desenvolvido ao longo de tantos anos”.


A exposição “O Retrato em João Abel Manta – Perfis para as Selectas” (pintura, desenho e cartazes) constitui uma exibição inédita sobre o tema “retrato” no contexto geral da obra multifacetada de João Abel Manta.


A estrutura da mostra está dividida em cinco áreas: “Depois da Grande Guerra, entre Lisboa e Paris: os rostos da sua geração e do seu mundo”, “Dinossauros excelentíssimos: Salazar, Caetano e outras figuras do poder”, “Uma coisa nunca vista: os rostos da revolução”, “Diálogos confidenciais: um imenso museu imaginário em papel de livro e jornal” e “Sou um pintor tardio: retratos da memória, do mito e do sonho”.
João Abel Carneiro de Moura Abrantes Manta nasceu em Lisboa, a 29 de janeiro de 1928.


À sua obra gráfica foi dedicada uma grande exposição em 1992, no Museu Bordalo Pinheiro em Lisboa, e em 2009 a sua obra pictórica mais recente foi exposta no Palácio Galveias.


Conteúdo Recomendado