Novo líder da concelhia do PSD/Guarda promete unir o partido

Nas eleições para a Mesa da Assembleia de Secção do PSD da Guarda ocorreu um empate por 177 votos e as duas listas concorrentes irão novamente a votos, segundo fonte do partido.

O novo presidente da Comissão Política Concelhia do Partido Social Democrata (PSD) da Guarda, Tiago Gonçalves, prometeu trabalhar para unir o partido e para promover o “envolvimento” dos militantes.

Tiago Gonçalves, que substitui Luís Aragão, que não se recandidatou ao lugar, anunciou que, no seu mandato de dois anos, vai procurar promover “um esforço de união do partido” e “trabalhar com todos os militantes”.

Uma das formas de atingir esse objetivo é “envolver vários militantes” da lista adversária no Gabinete de Estudos que pretende criar.

O novo líder da concelhia do PSD da cidade mais alta do país disse ainda aos jornalistas que vai estar muito concentrado “na organização do PSD e no envolvimento dos militantes na vida do próprio partido”.

Tiago Gonçalves tem 34 anos, é advogado e líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal da Guarda, tendo desempenhado as funções de diretor da campanha autárquica de Álvaro Amaro à Câmara Municipal da Guarda nas eleições do dia 01 de outubro de 2017.

O candidato vencedor liderava a lista G e derrotou Júlio Santos, atual presidente da Mesa da Assembleia de Secção do PSD da Guarda, que concorreu pela lista A, por uma margem de 11 votos.

Dos 526 militantes inscritos no concelho da Guarda votaram 385, tendo o candidato vencedor obtido 183 votos e o outro concorrente um total de 172.

Foram ainda contabilizados 20 votos nulos e 10 em branco.

O candidato derrotado, Júlio Santos, disse aos jornalistas que as eleições foram “aguerridas” e que aceita o resultado.
Afirmou que “cabe a quem ganhou tentar fazer a união” dos militantes da concelhia social-democrata da Guarda e que, pela sua parte, está “disponível para tudo”.

Nas eleições para a Mesa da Assembleia de Secção do PSD da Guarda ocorreu um empate por 177 votos e as duas listas concorrentes irão novamente a votos, segundo fonte do partido.




Conteúdo Recomendado