Mon Jardin Secret de Bruno Brazete

O espetáculo de dança contemporânea realiza-se hoje e amanhã, à noite, na sede do Aquilo Teatro, no Largo do Torreão, na Guarda.

O Aquilo Teatro, na Guarda, apresenta hoje e amanhã, quinta e sexta-feira, dois espetáculos de dança contemporânea na sua sede, no Largo do Torreão. “Mon Jardin Secret” é uma criação do bailarino guardense Bruno Brazete com música de Alberto Lopes e tema de Asas Fechadas de Amália Rodrigues. O espetáculo está marcado para as 21h30.


“Quem nós somos? Como sentimos? Como flutuamos no cimo do universo? O sonho envolvido na ilusão das memórias que desperta novas sensações. O belo, a água, o vento e o ar, um novo olhar ou uma simples farsa da realidade? Acompanhado pela improvisação, onde nada é concreto, nada existe e tudo permanece na memória ou na mensagem que se perde no movimento, que recordações são estas que me fazem cair em mim? Um novo despertar com a sonoridade das palavras, memórias por decifrar, um inesperado limbo de recordações, entre o existir e o existente, entre o nada e o vazio, a simplicidade e a honestidade” refere a sinopse do espetáculo.

Bruno Brazete nasceu em 1986, na Guarda. Iniciou o seu percurso em 2002 sob a direção de Américo Rodrigues no Aquilo Teatro na Guarda, tendo prosseguido estudos em dança em Viseu, com os bailarinos da Companhia de Paulo Ribeiro em 2004.


Em 2006, inicia o curso de Intérprete de Dança Contemporânea no Balleteatro Escola Profissional, tendo concluído no ano 2009/10.
Como intérprete, trabalhou com Américo Rodrigues; Cie.Turbule; A fleur de peau; Compagnies Arte et Proximité; Sergio Keuten; Denise Namura; Michael Bugdahn; entre outros.


Nos últimos 5 anos, reside em Paris, trabalhando na Ópera Nacional de Paris há 3 anos, integrando em peças como ‘L’ ENLÈVEMENT OU SÉRAIL DE MOZART’ de Zabou Breitmain; ‘ALCINA DE HAEANDEL’ de Robert Carsen, ‘LA GIOCONDA’ de Pier Luizzi Pizzi, entre outras.


Enquanto criador, desenvolveu peças como TWO BODIES (2008); IL ÉTAIT UNE FOIS LA FEMME (2010); VIBRATIONS (2011); RENAISSANCE (2011); BOUT À BOUT (2013); CORPS D’ ACORD (2014).




Conteúdo Recomendado