João Morgado venceu Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa 2019

A obra literária “Livrai-me do mal”, a que o autor concorreu sob pseudónimo, acolheu a unanimidade do júri.

O escritor João Morgado, natural da Covilhã, recebeu no passado dia 18 de Novembro, no MU.SA – Museu de Artes de Sintra, o Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa 2019, instituído pela Câmara Municipal de Sintra.


A obra literária “Livrai-me do mal”, a que o autor concorreu sob pseudónimo, acolheu a unanimidade do júri, constituído por Annabela Rita, em representação da Associação Portuguesa de Escritores, Miguel Real, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários, e Ricardo António Alves, designado pelo município de Sintra. O júri salientou “a sensibilidade do tema, a inovação estilística e a qualidade da escrita”.


Depois de alguns anos dedicado ao romance histórico, João Morgado regressa com “Livrai-me do mal” à literatura intimista, no seguimento de anteriores romances como “Diário dos Infiéis” e “Diário dos Imperfeitos”.
“Um retorno à intimidade dos casais, mas também a um tema polémico: como é que se reage a uma doença grave? Aproxima as pessoas, ou pelo contrário, afasta os casais?”


João Morgado sente-se honrado por ter um prémio com o nome de Ferreira de Castro “autor d´A Lã e a Neve”. “Um romance marcante que fala da Covilhã, a minha terra-natal e que li muito na minha juventude e tinha relido recentemente para um colóquio na Universidade da Beira Interior. Para além do grande escritor que é, tem um percurso de vida e de luta, de valorização pessoal pelo trabalho com que me identifico, por isso estou muito contente e honrado por ter um prémio com o nome de uma figura como é Ferreira de Castro” refere o autor.




Conteúdo Recomendado