Mêda com orçamento de 14,9 ME que dá “particular atenção” aos mais carenciados

A Câmara Municipal de Mêda apresenta para este ano um orçamento de 14,9 milhões de euros, que visa a promoção do desenvolvimento económico e social do concelho, e que dá “particular atenção” aos mais carenciados.

O documento, que regista um ligeiro aumento relativamente a 2020, que foi no valor de 14,7 milhões de euros, foi aprovado por maioria pelo executivo presidido por Anselmo Sousa (PS) e pela Assembleia Municipal.

Segundo o presidente da autarquia, o plano de atividades e o orçamento para 2021 “respeitam o compromisso assumido com os medenses, que assenta na responsabilidade, serenidade e rigor, por forma a reforçar o amortecimento dos problemas e das desigualdades sociais, bem como de impulsionador do desenvolvimento económico local”.

“Assim, de forma a canalizar o máximo de recursos disponíveis para o combate às desigualdades sociais, com particular atenção para os mais carenciados e a promoção do desenvolvimento económico e social do concelho de Mêda, a elaboração das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2021 manteve os princípios orientadores definidos nos anos anteriores, de contenção da despesa corrente e a máxima ponderação na definição dos investimentos a concretizar”, refere o autarca no texto introdutório.

Anselmo Sousa disse hoje à agência Lusa que “a grande obra” autárquica para este ano vai ser a criação de uma zona empresarial, que está projetada para junto da estrada que faz a ligação entre a cidade de Mêda e a aldeia de Ranhados.

“A candidatura já foi aprovada e estamos a fazer o possível para lançar a obra”, disse o presidente da autarquia, indicando tratar-se de um investimento com um valor global de dois milhões de euros.

Este ano, a autarquia de Mêda, no distrito da Guarda, também prevê a concretização de investimentos contratualizados no âmbito do Portugal 2020, “com especial enfoque” no PARU – Plano de Ação de Regeneração Urbana (no valor de 600 mil euros) e na recuperação e requalificação do património natural e cultural.

Ainda de acordo com Anselmo Sousa, no orçamento municipal foram “incluídos recursos destinados à realização de obras de requalificação e beneficiação em todas as freguesias do concelho”.

Beneficiação de estradas, requalificação do Bairro do Barrocal, da antiga escola e do castelo de Longroiva e da ligação rodoviária entre Rabaçal – Estrada Nacional 102, são alguns dos projetos a concretizar.

Para “atenuar as desigualdades sociais”, a autarquia manteve a redução máxima do IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis para famílias com dependentes e a isenção da Derrama “para apoio à dinamização da economia local”.

“É um orçamento bastante ambicioso. É para concretizar e tem em atenção as necessidades das freguesias e a parte social e a educação, que também é fundamental para nós”, garante o presidente do município de Mêda.



Conteúdo Recomendado