Maioria PSD da Guarda destaca apoio ao investimento

O autarca social-democrata considera que tem vindo a transformar a Guarda “numa cidade mais mobilizadora e envolvente”.

O apoio ao investimento e à modernização da Guarda é destacado pela gestão maioritária do PSD no início do segundo mandato consecutivo, mas a oposição critica e diz que “continua a fazer dos eventos a sua peça fundamental”.

“Neste primeiro ano de segundo mandato continuámos a agir com determinação, com foco no investimento e na modernização e, acima de tudo, na felicidade das nossas gentes”, disse o presidente Álvaro Amaro (PSD).

O autarca social-democrata considera que tem vindo a transformar a Guarda “numa cidade mais mobilizadora e envolvente”.

“Credibilizámos a capital de distrito aos olhos do país e do mundo. Continuámos ao lado dos agentes económicos para aqui fazerem os seus investimentos. Reforçámos a capitalidade da Guarda, com a instalação da sede da Comunidade Intermunicipal nos antigos Paços do Concelho e inaugurámos uma nova sede da Comissão Vitivinícola da Beira Interior no antigo espaço do Quintal Medroso”, apontou.

Com o trabalho realizado, a autarquia aumentou a autoestima coletiva e devolveu “o orgulho aos guardenses”.

“Hoje, a Guarda está mais atrativa e mais amiga dos investidores. Só na Plataforma Logística já foram vendidos, desde novembro de 2013, 62 lotes, num investimento por parte de privados estimado em 56 milhões de euros, estando prevista a criação de mais de 500 postos de trabalho”, sublinhou.

No primeiro ano de mandato “foi também assinado um protocolo com o Instituto Politécnico e quatro empresas do setor automóvel que prevê a criação de um Centro Tecnológico para a Indústria Automóvel, designado Professor Fernando Carvalho Rodrigues”, acrescentou.

Segundo o autarca do PSD, a Câmara “tem continuado a apostar forte no setor do turismo, tendo alcançado uma taxa de crescimento de turistas registados no Welcome Center de 76,44%, de 2013 até ao primeiro semestre de 2018”.

“Neste ano, fruto de um trabalho intenso, vimos, finalmente, ser anunciada a recuperação do antigo Hotel de Turismo da Guarda, no âmbito do Programa Revive, num investimento global estimado de sete milhões de euros”, referiu.

No futuro, o município vai ser mais ambicioso no setor do turismo e Álvaro Amaro lembra que foram dados “passos importantes no processo de candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura” em 2027.

Neste mandato, a autarquia continuou a apostar nos eventos “que já são referência a nível nacional e internacional”, como a Feira Ibérica de Turismo, a Cidade Natal, a Feira Farta e o Simpósio Internacional de Arte Contemporânea, entre outros.

O autarca vaticina que, no final do mandato, a Guarda “será, certamente, um diamante muito mais lapidado, cujo brilho se fará sentir em várias geografias, provando que este território tem futuro”.

A oposição socialista tem uma opinião diferente da maioria social-democrata e os vereadores Eduardo Brito e Pedro Fonseca consideram que, “apesar de alguns aspetos positivos, no final do primeiro ano de mandato, no fundamental, a Câmara Municipal da Guarda, liderada pelo PSD, continua a fazer dos eventos a sua peça fundamental para desenvolver e afirmar a Guarda”.

“Os resultados estão à vista: cada vez menos pessoas; menos emprego; menos economia; e um mundo rural em acelerado processo de desertificação”, apontam.

Ao longo do primeiro ano de exercício de funções, os vereadores do PS “empenharam-se na discussão e resolução dos verdadeiros problemas que afetam o concelho da Guarda e as suas populações”.

“Com efeito, encetámos esforços no sentido de vermos aprovadas medidas que promovessem quer o desenvolvimento da Guarda” quer “a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, adiantaram.

Os socialistas dão como exemplo a sugestão para a “aposta no Instituto Politécnico da Guarda enquanto polo de atração e fixação de população, sobretudo jovem”, e medidas estruturantes de apoio à fixação de empresas e expansão de planos de negócio.

Em relação à melhoria da qualidade de vida dos munícipes, apontaram a defesa da redução das taxas de IMI, da água e da derrama.

Nas eleições autárquicas de 01 de outubro de 2017, o social-democrata Álvaro Amaro conquistou um segundo mandato à frente da Câmara da Guarda, novamente com maioria absoluta, com cinco mandatos. O PS elegeu dois.




Conteúdo Recomendado