Idanha-a-Nova: Casinha da Música dá aulas de viola a crianças e jovens

O projeto Casinha da Música, criado pelos músicos Joaquim Martins e Eduardo Lopes, está a dar aulas de viola em Idanha-a-Nova.

É a mais recente proposta para aprender a tocar um instrumento na localidade, numa oferta não informal e acessível.

As aulas funcionam num espaço cedido pela Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, no recinto da Feira Raiana. Semanalmente, um grupo de crianças – por agora apenas quatro para cumprir as medidas de segurança – vão aprendendo os primeiros acordes em violas cedidas pela autarquia
Joaquim Martins conta que “o projeto nasceu do desafio feito por uma mãe com um filho que gostava de aprender a tocar viola e eu, mais o músico Eduardo Lopes, iniciámos então estas aulas. Entretanto, foram surgindo mais crianças e jovens interessados e o projeto está aberto a novas inscrições”.

Eduardo Lopes e Joaquim Martins, com percursos ligados a bandas idanhenses como os União Portuguesa e os Moços do Adro, salientam o entusiasmo das crianças. “Nas aulas estão a aprender muito bem, e em casa, o feedback que recebemos dos pais é que os filhos passam agora menos tempo ao telemóvel ou ao computador e dedicam-se a praticar um instrumento musical”.

Com o crescimento, o projeto poderá evoluir para um espaço maior. Numa parceria com a Filarmónica Idanhense, Eduardo Lopes e Joaquim Martins têm ainda o objetivo de alargar a oferta para a aprendizagem de bateria, baixo e guitarra elétrica.
A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova apoia a Casinha da Música através da cedência do espaço onde decorrem as aulas e da cedência de violas e acessórios do instrumento.

Armindo Jacinto, presidente da autarquia, afirma que o novo projeto “está perfeitamente alinhado com a estratégia de Idanha-a-Nova enquanto Cidade Criativa da UNESCO na área da Música, que tem proporcionado o acesso à aprendizagem de música nas diferentes freguesias: desde os mais novos, logo no Berçário, aos cidadãos com mais idade, na Universidade Sénior”.

O autarca lembra que “a música enriquece a nossa vida, ajuda-nos a sermos melhores cidadãos, independentemente de seguirmos ou não uma carreira musical. Auxilia-nos nos estudos, no trabalho, na vida”.
“Espero que usufruam destas aulas e que tirem bom partido desta oportunidade”, afirmou ainda Armindo Jacinto, numa mensagem transmitida aos jovens alunos de viola, durante uma das aulas mais recentes.



Conteúdo Recomendado