Galo volta a ser julgado na Praça Velha

Entre 28 de fevereiro e 4 de março, a cidade mais alta volta a ser palco da GuardaFolia.

À semelhança do ano anterior, a Câmara Municipal da Guarda apresenta uma série de propostas para animar o Carnaval dos guardenses.

A programação deste ano conta com Teatro de Revista com João Baião e Marina Mota (dias 28 de fevereiro e 1 de março, pelas 21h30, no Teatro Municipal da Guarda); Desfile de Carnaval das Escolas (dia 1 de março, a partir das 14 horas, com início na Câmara Municipal da Guarda); Fun Run, uma corrida pela cidade, cheia de obstáculos e de boa disposição, onde a única obrigatoriedade para quem participa é a de aparecer disfarçado (dia 3 de março, a partir das 11 horas); Desfile e Julgamento do Galo (dia 3 de março, a partir das 16 horas), as Tabernas do Entrudo, espaço dedicado à mostra e degustação de produtos da região dinamizado pelas coletividades e associações locais, que contará também com um diversificado programa de animação (de 1 a 4 de março, na Alameda de Santo André) e ainda o humor de Salvador Martinha (dia 4 de março, pelas 21h30, no Teatro Municipal da Guarda).

Desfile e Julgamento do Galo do Entrudo

As freguesias do concelho estão envolvidas num processo criativo de construção do Desfile e Julgamento do Galo, numa sátira global aos males do mundo.

Segundo a Câmara Municipal da Guarda, o desfile tem início às 16 horas e culmina na Praça Luís de Camões, junto da Sé Catedral, onde decorrerá o “Julgamento do Galo”, um espetáculo que “tem vindo a marcar a diferença nos programas de Carnaval de todo o país recorrendo à sátira e ao humor num tom popular e inteligente”.

Trata-se de uma iniciativa de “grande envolvimento”, baseada em tradições populares e que tem na “morte” do galo o seu auge.

Os promotores adiantam que no julgamento “o vilão voltará a ser o ‘Galo do Entrudo’, que mais um ano volta a sentar-se no banco dos réus acusado de todo o mal que assolou o mundo no ano que passou”.

“Será, pois, julgado pelos seus pecados e atos inconsequentes e espera-se que seja condenado e morto pelo fogo em praça pública e assim cumprida a tradição do Entrudo na Guarda”, acrescentam.

 

 




Conteúdo Recomendado