Figueira de Castelo Rodrigo na Associação de Municípios do Douro Superior

A direção da Associação de Municípios de Douro Superior (AMDS) anunciou a inclusão de Figueira de Castelo Rodrigo naquela entidade intermunicipal, com objetivo de “unir” os territórios do Parque do Douro Internacional e do Alto Douro Vinhateiro.

“O rio Douro é o principal motivo para a ligação dos territórios do Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) e o Alto Douro Vinhateiro (ADV). Por muito que se tentasse a união deste territórios, a verdade é que todos os projetos, careciam de um elemento fulcral, que era o concelho de Figueira de Castelo Rodrigo”, explicou à Lusa o presidente da AMDS, Nuno Gonçalves.

A Associação de Municípios do Douro Superior (AMDS), atualmente, é constituída pelos concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo (Bragança) e Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda.

Com a entrada de Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda), passa para seis o número de concelhos que integram aquela estrutura que tem no rio Douro como elemento natural comum.

“Com inclusão do município de Figueira de Castelo Rodrigo, a AMDS passa a ter na sua estrutura todos os concelhos que integram a área protegia do PNDI. A principal ideia passa por incrementar uma estratégia de promoção turística de ambos os territórios e elevando-a ao contexto transfronteiriço”, frisou o também autarca de Torre de Moncorvo.

Um dos projetos, de acordo com Nuno Gonçalves, passa por “internacionalizar” todas as estratégias de cooperação entre o território das Arribas do Douro e do Alto Douro Vinhateiro, Património da Humanidade.

“Um dos principais eixos desta estratégia intermunicipal passa pela recuperação de todo o canal ferroviário da antiga linha férrea do Sabor e que ligava Duas Igrejas, em Miranda do Douro, ao Pocinho, no concelho de Vila Nova de Foz.

Com a entrada de Figueira de Castelo Rodrigo, este projeto assume uma dimensão fronteiriça com ligação entre o Pocinho e Barca d’ Alva até ao território espanhol”, vincou.

Este novo projeto é já encarado, como “uma porta de entrada” dos vizinhos espanhóis no PNDI e no ADV e ainda na Beira Alta.

“É preciso criar estas pontes de ligação entre concelhos e territórios vizinhos, para se poder aproveitar os fundos comunitários que estão aos dispor dos municípios para a promoção turística e ambiental conjunta de todo o rio Douro”, disse Nuno Gonçalves.

O PNDI inclui os troços fronteiriços dos rios Douro e Águeda, bem como as superfícies planálticas confinantes pertencentes aos concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Miranda do Douro e Mogadouro, com uma extensão de mais de 122 quilómetros.

A Região do Alto Douro Vinhateiro é uma área com mais de 26 mil hectares, classificada pela Unesco em dezembro de 2001, como Património da Humanidade.




Conteúdo Recomendado