Feira da Castanha divulga “produto endógeno de excelência” de Trancoso

O certame tem a abertura oficial marcada para hoje às 09h45, com a presença prevista do secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel.

O município de Trancoso, no distrito da Guarda, promove a IX Feira da Castanha e Paladares de Outono, de hoje até domingo, 4 a 6 de novembro, para ajudar os agricultores na comercialização deste produto que tem grande importância na economia local.


Segundo o presidente da Câmara Municipal de Trancoso, Amílcar Salvador, com o certame anual a autarquia pretende “promover, valorizar e divulgar este produto endógeno de excelência que é a castanha, uma fonte de rendimento de muitas famílias”.

“A castanha contribui fortemente para a economia do nosso concelho”, disse ontem o responsável à agência Lusa.


Referiu que, este ano, “houve uma quebra significativa na produção, na ordem dos 50 a 60%, mas a qualidade da castanha é muito boa”.


O concelho tem atualmente cerca de 900 produtores de castanha das variedades Martaínha e Longal e é o único do distrito da Guarda que integra a região demarcada de produção de castanha DOP Soutos da Lapa.


“A castanha de Trancoso representa cerca de 5% da produção nacional. Nós temos qualquer coisa como 1.600 hectares de castanheiros”, disse.


Amílcar Salvador lembrou que nos últimos anos o seu município celebrou protocolos com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro que permitiram realizar “um trabalho de proximidade” com os produtores.


Foram realizados “muitos dias abertos sobre os mais diversos temas, em termos de plantio e cultivo do castanheiro, de combate às doenças do castanheiro e de combate às vespas das galhas do castanheiro”, com o objetivo de “promover a cultura do castanheiro, melhorar a produtividade e aumentar a produção”.


“Fruto desse trabalho, nos últimos três a quatro anos, aumentámos [a plantação de castanheiros] em 200 hectares. Passámos de 1.400 para 1.600 hectares de castanheiros. O número de soutos também tem vindo a aumentar. Temos na ordem dos 1.300 soutos, mais de 140 mil castanheiros e quase 900 produtores de castanha”, referiu.


De acordo com Amílcar Salvador, o município tem uma produção anual de castanha “que ronda as três mil toneladas”, embora este ano, devido ao tempo seco, a mesma deva rondar as “1.500 a 2.000 toneladas”.


Quanto ao preço, esclareceu que o quilo da castanha “ronda os três a quatro euros”.


Com a realização da IX Feira da Castanha e Paladares de Outono, o município de Trancoso pretende “promover e divulgar a castanha” produzida localmente e ajudar no escoamento de outros produtos locais como o pão, os biscoitos, o mel, o azeite, os frutos secos, o queijo, os vinhos, a jeropiga e os licores, entre outros.


Segundo o autarca, o programa do certame anual inclui animação, espetáculos musicais, ‘workshops’, conferências, jornadas técnicas, ‘showcooking’, concurso da melhor castanha, uma caminhada e um magusto popular, entre outras iniciativas.


O evento contará com a participação de cerca de 80 expositores que ocuparão o Pavilhão Multiusos, existindo também uma área exterior para exposição de maquinaria agrícola relacionada com o setor da castanha e uma tenda para espetáculos musicais.


Do cartaz musical destacam-se espetáculos do grupo Santamaria (hoje, 22h00) e de Quim Barreiros (sábado, 22h00).


O certame tem a abertura oficial marcada para hoje às 09h45, com a presença prevista do secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel.


Conteúdo Recomendado